domingo, 11 de maio de 2014

SEJA HOMEM PARA TERMINAR

Arte de René Magritte
 
Se vai se separar, não arrume desculpas ou evasivas.
 
Não tente colocar a culpa no outro para ainda se sair como vítima.
 
Não transfira sua decisão, muito menos queira repartir a culpa.
 
Não fique cavando erros para sair ileso e diminuir sua pena.
 
Não procure aliviar a dor com eufemismos.
 
Não torture com falsas promessas para ganhar tempo, não sustente planos conjuntos.
 
Não escolha o melhor dia para evitar conflitos. Não há melhor dia para se despedir. Todo dia é ruim. Todo dia é triste.
 
Não diga “eu te amo” por convenção, como se fosse um cumprimento, para despistar o que já definiu em segredo.
 
Não perdure cobranças se já não deseja mais nada.
 
Não discuta por horas a fio por um preciosismo ou um deslize se não tem paciência.
 
Não imponha sua vontade se não tem vontade.
 
Não banque o tirano, o ditador, para encobrir o crime do desamor.
 
Não conte aos amigos o que sente se não conta antes para sua companhia.
 
Não mergulhe na omissão sob a alegação de que ela não vai entender.
 
Não pense por ela, não fale por ela, não está mais conectado para traduzir o que ela deseja.
 
Não faça fiado com o silêncio, não faça empréstimo com as lembranças, não invente de pagar as palavras com juros.
 
Seja direto, didático, claro.
 
Que encontre a coragem da simplicidade. A confusão neste momento gera covardia.
 
Sem teorias, sem defesa, sem chantagem, sem adiamentos.
 
Exponha que não ama mais ou o que está envolvido com uma nova pessoa ou que não tem mais interesse.
 
Mas assuma o ponto final, não finja que é uma vírgula.
 
Metade dos traumas da separação é que alguém saiu sem explicar o motivo.
 
Metade dos traumas do divórcio é que alguém ficou com aquele medo preguiçoso de transparecer o fim.
 
E quem é deixado para trás passa o resto dos dias buscando entender o que aconteceu, remoendo o desfecho, carregando o ressentimento de que havia como continuar e inventando motivos.
 
Não dê trabalho de ressurreição a quem dividiu a vida com você, dê a verdadeira causa do óbito.
 
É uma injustiça sumir, desaparecer, virar as costas.
 
O coração é um cartório. Tem que reconhecer firma. Na entrada e na saída de qualquer relacionamento.
 
Caso foi homem para declarar o amor, tem que ser homem para encerrar o amor.
 
Caso foi homem para começar o amor, tem que ser homem para terminar o amor.
 
  

Publicado no jornal Zero Hora
Revista Donna, p.6
Porto Alegre (RS), 11/5/2014 Edição N° 17793

14 comentários:

Samy Castro disse...

SHOW!

Chris Macêdo disse...

Perfeito, Fabrício!!

Paulyelson Cezar disse...

Carpinejar reconhece os sentimentos e desejos de longe...mas,se tu o sabes, é porque tu amas também...Poeta!!! Ver as coisas da vida e trás com simplicidade,não é fácil entender,mas,tudo é fácil quando leio.

Maiara A. Magni disse...

Muito bom esse texto! Um covarde já me deixou cheia de perguntas sem respostas uma vez no passado e esse texto lhe cairia como uma luva. Hoje em dia é desnecessário, mas, de todas as formas, me encontrei em cada palavra sua, como um reflexo nítido do que vivi. Muito bom!

Minha Casa - meu corpo disse...

Muito bom...
Mas a maioria dos homens são pintinhos de Granja.

Anônimo disse...

Carpinejar, adorei a teu material na Rádio Gaúcha Hoje (16/05/2014), que falava sobre "ele não postar fotos dela nas redes sociais". Gostaria de saber se há como ter acesso novamente a isso. Se a rádio posta o áudio no site deles ou se tu reproduz aqui.

Muito obrigada e parabéns!
(helen.michels@live.com)

Raquel Theiss disse...

Excelente!!!

(R.P.) disse...

Simplesmente perfeito, verdadeiro, lagrimei... Sem palavras.

António Jesus Batalha disse...

Estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu. Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário. Abraço fraterno.António.

edi mara marcon disse...

Amei.....li no momento certo,me fez entender muitas coisas.

Amanda Santos disse...

Uma belíssimo texto, como sempre!


Fique em paz, Fabrício.
Amanda.

Duda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Duda disse...

Perfeito! A mais pura verdade, os homens devem ser sinceros e ter coragem para terminar um relacionamento, é imperdoável o que alguns fazem!!

Anônimo disse...

Lindo texto ! Expressão de um momento que vivi, de um fantasma que ate hoje me aprisiona. Parabéns, suas palavras em todos os textos são profundos e deixam nua nossas almas. Parabéns pelo poeta que és !!!