terça-feira, 24 de abril de 2012

DORMINDO SEMPRE JUNTOS, NA MESMA HORA

Arte de Gustav Klimt

Quando sua companhia se levanta, rola para cheirar o travesseiro dela?

Você é apaixonado por dividir, desculpe informar. É constrangedor confessar a dependência, mas não resta alternativa. Nunca será mais sozinho. É uma simbiose amorosa por dentro das lembranças, dos hábitos, que surge no modo de repartir uma tangerina e pôr açúcar no café. Uma necessidade de primeiro servir para depois saciar as próprias ansiedades.

Entregou os pontos ao abandonar seu horário para dormir. Renunciou ao livre-arbítrio no momento de atender ao chamado sedutor de sua esposa.

– É tarde, te espero?

Aquela desistência foi fatal. Pode ter classificado o gesto como uma exceção, só que gostou de verdade, gostou imensamente de adormecer com sua mulher. Ambos apagando o abajur em igual instante, depois de ler, de rir, de brincar. Sincronizaram o relógio dos batimentos cardíacos e nunca houve mais atraso de beijo.

Amor eterno é quando um não consegue mais dormir sem o outro. Simples assim. Deseja descansar, e convoca sua mulher na sala.

– Vem, tá na hora!

E ela, que estava envolvida com um filme ou um programa de tevê, nem reclama, nem diz mais um minutinho, ajeita os ombros no cobertor do seu abraço e segue junto.

Lado a lado no espelho do banheiro, escovam os dentes, ajeitam o rosto, colocam roupas folgadas. Reina uma sincronia dos movimentos, uma disciplina na admiração. Alguns até confundem com tédio, porém é intimidade: não precisar falar para se entender. Se silêncio com ódio é submissão, silêncio com ternura é concordância.

Escoteiros do casamento, entram no mar branco dos lençóis cada um do seu lado: ela pela margem esquerda, ele pela margem direita. E centram os corpos para fazer conchinhas encostando as cabeças. Um casal apaixonado ocupa menos do que uma cama de solteiro: terminam agarrados, sobrepostos.

Você se dá conta de que não deita mais sozinho há décadas. É uma compulsão olfativa. Está no escritório trabalhando de madrugada, e ela abre a porta para convidá-lo:

– Vem, tá na hora!

E não estranha a ordem, obedece, sequer medita sobre o motivo da adesão. Vai, sem preguiça alguma, sem aviso de bocejo, ainda que não esteja com vontade, ainda que tenha uma porção de tarefas e problemas a resolver. Larga as urgências pela metade e se prontifica a acompanhá-la.

Casal quando se ama dorme na mesma hora. E não suportará morrer longe. O sonho é também morrer na mesma hora. Com as respirações próximas.



Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 24/04/2012
Porto Alegre (RS), Edição N° 1749

23 comentários:

Karina disse...

Lindo lindo! Amei!

Bárbara disse...

Eu quero um amor assim...

Anônimo disse...

Eu vivo um relacionamento desta forma como descreveu e é um sentimento lindo, maravilhoso, uma coisa assim como dois corpos num só, duas almas numa só. Não vivemos um sem o outro !

Anônimo disse...

Não existe...não existe...

Cinderela disse...

Amo! Parece que lê a gente e depois transcreve, como faz isso?

Luh Ciecelski disse...

Eu li na Zero Hora e adorei, agora vim procurar teu blog, pra ler mais e mais de você!!

Lu disse...

Parece escrito pelo meu marido, belissimo!

Gabriela Carpes disse...

Estou em Londres e meu amor em Porto Alegre. O que mais sinto falta é exatamente isso, a companhia na hora de dormir, os pés e as pernas entrelaçados e os corações batendo junto.
Lindo texto! Obrigada!

Kin disse...

Perfeito.

Patrícia Gomes disse...

Eu e meu marido - só que às quartas - adivinha pq!

De Tudo de Helena disse...

Chorei..lindo!

aline beneditto disse...

simplesmente demaaais! meu marido me ligou hj ao meio dia para me dizer que havia lido esse texto e era para eu ler tb! que ele era a nossa cara! heheheheheh!
ameiii de verdade! é exatamente isso que acontece qndo 2 pessoas se amam e são almas gemeas! e simmmm...isso existe de verdade!

Anônimo disse...

Amei! E adoro Klimt também! Débora

Gabriela Guimarães disse...

Apaixonante tipicamente carpinejante.

Fátima Nascimento disse...

Bela crônica! Há um tempinho não vinha no seu espaço, mas que bom retornar e ler um texto assim tão inspirado e inspirador.

Karla disse...

Demais!! Conseguistes traduzir exatamente o que sinto, vivo um relacionamento exatamente assim onde um depende do outro pra ser feliz! Então, um amor assim existe sim! Eu vivo um!

Nel Santos disse...

Puxa! Foi tudo de mais lindo que já li nessa semana!

Anônimo disse...

Lendo o que postou acima, fiquei um pouco assustada, me perguntei? meu amor é eterno.Nunca jurei e nem pensei em amar eternamente, amo porque é bom amar,saber se é eterno assusta um pouco. BJUSSS

Luzia Trindade disse...

Aii.. que lindo!!

Davi disse...

Que maravilha!


Descreveu meu momento! Uau!

Anônimo disse...

Texto tão lindo que me emocionei! Também pelo fato de concordar, mas infelizmente não vivenciar isso...

shadia disse...

Lindo demais! Amar é exatamente isso, só quem ama sabe como é bom dormir juntinho! Parabéns, tu é demais!

Débora Silva disse...

Eu quero.:(