segunda-feira, 17 de agosto de 2015

INTERESSANTE

Arte de Eduardo Nasi

Namoravam no sofá. Ambos colegas de trabalho que resolveram se dar uma chance. Não havia nada a perder mesmo que errassem, pois um erro em comum já seria intimidade.

Mão para cá, mão para lá, beijos ensandecidos e, de repente, no calor máximo dos toques, ela trava:

- Será que estamos prontos?

Ele prosseguiu beijando e ignorando a questão.

Ela prosseguia cortando e jardinando os dedos e os avanços.

Ele resmungou que aquela pergunta tinha sentido no século XIX, não hoje.

Ela foi mais contundente:

- Vamos com calma! Sou uma mulher séria.

Austeridade e seriedade são duas palavras broxantes.

Ele, então, encolheu a respiração, esticou as calças e buscou algum assunto neutro para enganar a excitação. Perguntou o que significava o imenso quadro da sala.

- É um retrato sobre a ovulação, feito sob encomenda por um artista — meu amigo —Eduardo Nasi.

- Ovulação? Interessante…

Assim como era interessante a coleção de Pais & Filhos e Crescer debaixo da mesa, era interessante o carrinho de bebê desmontado no corredor, era interessante os bichinhos de pelúcia na estante.

A ida ao banheiro tornava-se providencial para se refazer. Quando não há sexo, haverá sempre a discussão por que não houve sexo. Necessitava se preparar para conversar sobre preliminares e formalidades.

- Ei, o toalete é na segunda porta – ela explicou.

Mas ele abriu a porta errada. Deparou-se com um quarto de criança digno de revista de decoração: berço com móbile balançando, abajur de estrelas refletindo no teto, paredes cor de rosa e armário abarrotado de roupinhas. Entretanto, não notou nenhum nenê dormindo.

- Você tem filho? Eu não sabia.

- Não tenho, é que já deixei tudo pronto antes de ficar grávida.

- Interessante…Interessante…

O homem somente emprega eufemismos, a exemplo do “interessante”, quando está em pânico.







Crônica publicada no site Vida Breve
Colunista de quarta-feira 12/08/2015

Um comentário:

Anônimo disse...

Show