sexta-feira, 20 de novembro de 2015

UM POUQUINHO?

Arte de Dorothea Tanning

Quando a mulher diz que vai pintar um pouquinho o cabelo, voltará absolutamente modificada.

O que sugere um retoque é o surgimento de uma nova personalidade.

Se queria ficar levemente acobreada, ficará vermelho sangue. Se queria ficar loira, ficará platinada. Se queria ficar morena, ficará azul.

O tingimento sempre foge do controle. Só restarão as sobrancelhas para contar a história e recordar do passado.

Pintar um pouquinho provocará um maremoto de selfies, todas devidamente apagadas. Nenhuma mulher é feliz depois de pintar o cabelo. Ela apenas se conforma - não tem mais o que fazer nos próximos meses.

A cor desejada na caixa ou na cabeça de uma modelo na revista jamais se repete. A cor do seu cabelo não combinará nem com o seu tom de pele muito menos com a sua personalidade, combinará apenas com o cabelo.

Colocar um tonalizante é uma aventura radical. O só pouquinho é muito.

O só pouquinho da mulher no salão é o só o pouquinho do homem no sexo.

Ouça meu comentário na manhã dessa sexta-feira (20/11), na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, com Antonio Carlos Macedo e Jocimar Farina:

4 comentários:

Jan Ribeiro disse...

E quando a gente pede pra cortar só as pontinhas e volta quase escalpelada!?

Evelyn disse...

Amo seus textos, amo você!
Só lendo seus livros pude preencher o vazio que a morte do Rubem Alves me deixou...
Abraços

António Jesus Batalha disse...

Encontrei seu blog e é uma honra estar a ver e ler o que escreveu, quero felicitar-vos, pois é um bom blog, sei que irá sempre fazer o melhor, dando-nos boas noticias, e bons temas.
Quero aproveitar a oportunidade para partilhar o meu blog : Peregrino E Servo.
Vou ficar muito feliz se tiver a gentileza de fazer uma visita ao meu blog.
PS. Se seguir, fique a saber que irei seguir também seu blog, se o conseguir encontrar.
António Batalha.
Parabéns e muitas felicidades.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

Essência Amálgama disse...

É mesmo assim, quando queremos mudar, começamos pela cabeça e como sofrem as cabeleiras, mas por vezes dá certo e as mudanças não terminam por ai...!