quarta-feira, 6 de julho de 2011

ABRAÇO DE JUDAS

Arte de Cínthya Verri


Todo presidiário tem dez minutinhos de sol, um recreio para banhar o rosto com a luminosidade da manhã.

Já quem é livre talvez passe 24h longe de um pátio, desprovido de um mísero contato com a luz do dia. Talvez não abra a janela, sequer levante as persianas, para espiar o azul do horizonte e criticar a temperatura dos relógios da rua.

Quem é livre age com culpa. Encarna-se na profissão como um condenado, debruçado a atender os múltiplos sinais do celular, laptop, iPad, televisão.

Sempre encontra um tempo para adiantar uma tarefa, mesmo que seja necessário abdicar do almoço, mas nunca abre frestas para se sentir no mundo.

Suas frases mais comuns são que não tem escolha; precisa se sustentar; há muito a fazer.

Aparentemente solto, está confinado na solitária do seu trabalho — e não percebe o valor de respirar a cerração, espirrar quando surge um vento mais gelado e descascar tangerinas no meio-fio solar, fugindo do lado das sombras.

Esquece que o centro tem praças, que as praças têm bancos, que nos bancos caem máscaras de oxigênio das árvores.

Esquece o livre-arbítrio, envolvido na onipotência de desdenhar da vida.

Se fossemos samambaias, estaríamos mortos. Secos. Murchos. Somos vasos e demoramos a rachar. A longevidade não é saúde.

Até abraçar desaprendemos. Ninguém mais abraça com vontade. Com sinceridade de velório.

Odeio abraço falso, como aquele beijo de frígida, no qual a face bate na face e os lábios se transformam em beiço.

Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida.

É pelo abraço que testo o caráter do outro. Não confio em quem logo dá tapinhas nas costas. A rapidez dos toques indica a maldade da criatura.

Não sou porta para bater. Nem madeira para espantar azar.

Abraço com toquinho é hipócrita. É abraço de Judas. De traidor. O sujeito mal encosta a pele e quer se afastar. Pede espaço porque não suporta os pecados dos pensamentos.

Devemos fechar os olhos no abraço, respirar a roupa do abraçado, descobrir o perfume e a demora no banho.

Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho.

Abraço é para atravessar o nosso corpo. Ir para a margem oposta. Nadar para ilha e subir ao topo da pedra pela gratidão de sopro.

Sou adepto a inventar abraços. Criar abraços. Inaugurar abraços. Realizar um dicionário de abraços. Um idioma de abraços.

O meu é o de cadeira de balanço. Giro nas pontas dos pés. Não largo, os primeiros minutos são para sufocar, os demais servem para o enlaçado se recuperar do susto.

Não entendo onde terminará o abraço. Se a pessoa vai chorar ou vai rir. Abraço é confissão.

Dez minutinhos de sol e de liberdade.



Crônica publicada no site Vida Breve

26 comentários:

Viviane Zion disse...

Simplesmente lindo!

*.*

Clesia Barros disse...

Cara, vc é O CARA!!! espetacular!!!

Adolescendo em Verso & Prosa disse...

Maravilhoso...sempre admiro a sua forma de encarar com muita simplicidade assuntos tão intensos..abraços mil!!

Bruna Calado disse...

"É pelo abraço que testo o caráter do outro. " Já disse isso muito! Obrigada pela fresta de sol!

Dé Mattos disse...

Uaaau, que maravilha de texto. Me identifiquei demais. Esses dias ainda comentei em um blog que não sei dar 3 beijinhos. Sou toda pele. Gosto de um bom abraço.
Adorei. Vou postar no meu blog!

gill disse...

Muito bom, sou de abraçar muito, quem conheço, quem acabei de conhecer, quem me sorri ou quem chora. Abraço por mim mesma, me sinto plena depois de abraçar. Abraço os recepetivos, os surpresos e os indecisos, abraço e acho que depois de um bom abraço alguns pensam um pouco sobre isso.
Obrigada, sinto o abraço de suas boas histórias.
ABRAÇO SINCERO PRÁ VC!

Kaike Lamoso disse...

" Se há abraços é que a força acompanha a estrada..." (Alcalino)
Bravo!

por Hope* disse...

Não sei se sou tão carente assim, rs.
Gosto de um bom abraço, mas de quem já conheço a tal da pele, abraços estranhos me causam dúvidas, um certo receio à princípio.
Mas aqui, poeticamente recitado, ficou bem atrativo o negócio, haha!
Abç demorado e rodopiado* então!

...Gotas... disse...

lindo! perfeito...identificação total com a ideia dos abraços sinceros e abertos.

Janine. disse...

Olá Carpinejar, o seu abraço não é só "simpático", é bonito, é profundo.
Foi uma alegria ir a BH ontem, no lançamento do seu livro, no Palácio das Artes.
Me senti encorajada, em todos os aspectos. Queria ter conhecido a Cinthya também!
Abraços de A a Z. Sua fã e amiga,
Janine Lorenzo.
http://cozinhando-palavras.blogspot.com/

Lilly disse...

Abraço bom é o verdadeiro. É terrível ter que abraçar/beijar quando não se quer, exclusivamente para satisfazer convenções sociais.
Parabéns pela crônica.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Escrever foi a melhor forma que você poderia ter encontrado para abraçar-nos.



Profeta, faz um frio indescritível aqui dentro. Do peito. Café?

Christian Peixoto disse...

Adorei o texto. É muito importante. Mas, a ideía dos 10 minutos de sol relacionados ao trabalho dentro de uma sala, isto é, a comparação entre presidiários e trabalhadores não foi feliz. Isto porque os presidiários não tem preocupação alguma com dinheiro. Trabalhadores não são sustentados pelo Estado; au contraire, mantém o Estado e os presidiários com impostos. É, acho que me falta um pouco de abraço...

JanaFerraz disse...

Nossa, me surpreendi com a grandiosidade do texto. Parei, refleti e vi erros tão comuns.
Ás vezes deixamos de valorizar, mesmo que inconscientemente, as pequenas coisas da vida e acabamos perdendo abraços, trocas de carinhos e experiências inesquecíveis.

Aproveitei a visita para seguir o teu blog, lindo lindo. Volto mais vezes e com mais tempo.

Também tenho um cantinho:
www.misturadinamica.blogspot.com
Você será bem vindo!

Caroline disse...

Acho que somos livres, quando podemos escolher como seremos livre . Não importa como sera essa liberdade mais que seja do nosso jeito.

Carpinejar Adoro - te

Anônimo disse...

Acho que antevendo que a mínima comparação do presidiário com o trabalhador não agradaria a todos, sabiamente já nos mostrou como inventamos desculpas: "Suas frases mais comuns são que não tem escolha; precisa se sustentar; há muito a fazer." PERFEITO!!!

Françoise disse...

Lembrei desse texto, não sei se vc conhece!!!

A tecnologia do abraço, por um matuto mineiro

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia...
- É... das invenção dos homi, a que mais tem sintido é o abraço.
O abraço num tem jeito di um só aproveitá!
Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha...
Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia...
Quandu ocê tá cum muita reiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum reiva...
Si ocê tá feliz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim da sua alegria...
Si arguém tá duente, quand'ocê abraça ele, ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém...

Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê purquê qui é qui o abraço tem tanta tequilonogia, mas ninguém inda discubriu...

Mas, iêu sei! Foi um ispirto bão de Deus qui mi contô...
Iêu vô contá procêis u qui foi quel mi falô:
O abraço é bão purcausa do Coração...
Quand'ocê abraça arguém, fais marssage no coração!...
I o coração do ôtro é marssagiado tamém!
Mas num é só isso, não... Aqui tá a chave do maió segredo de tudo: É qui, quandu nóis abraça arguém, nóis fica cum dois coração no peito!... "
INTONCE... UM ABRAÇO PRÔ CÊ!

Françoise de Fátima Barbosa

milah disse...

Em que livro essa crônica foi publicada?(se é que já foi) kkkkk....Parabéns!!!!

zildete melo disse...

Um abraço com grife CarpiNejar pra você!

Anônimo disse...

Você e gay?

Anônimo disse...

Eu achei você muito gay no jô!

Anônimo disse...

Boa, Carpinejar! É isso mesmo! Gente que não abraça não gosta de gente...e quem não gosta de gente merece, no mínimo, desconfiança!
Estamos perdendo o viço...ficando "opacos"...O que anda acontecendo com os seres humanos? #medo
Martha - RJ
thittarj@hotmail.com
http://www.facebook.com/profile.php?id=100001408264963

Lelle disse...

Que lindo, que lindo @__________@

Juliana Soares disse...

Conheci seu trabalho a pouco tempo mas já sou fã! Lindos textos, linda escrita... Raras são as pessoas que escrevem com a alma e para as almas.
Comprei seu novo livro e estou agoniada para começar a ler!!
Abraços e sucesso! E mta luz!

Aline Barra disse...

Espetacular!!! Alguém já disse isso aqui, mas não há como não repetir... Demais!!!

Abraços!

Brendel Luis disse...

Falou tudo!!!
Muito bom!