terça-feira, 27 de agosto de 2013

O LADO DO SOL DA CALÇADA


Arte de Hopper

Sem esperança, não há generosidade.

Sem esperança, ninguém rende no trabalho.

Sem esperança, ninguém será receptivo no relacionamento.

Sem esperança, ninguém entenderá um amigo.

Esperança é garantir que tudo pode ser feito com calma, que não é preciso acertar sempre.

Esperança é espontaneidade. Esperança é leveza que se faz densidade. Esperança é não pressionar. Esperança é se doar sem medo de acabar.

A generosidade vem da esperança, eu garanto.

Quem não tem esperança será avarento, poupará sua energia, entrará em estado de sítio, economia de guerra, fará estoque de alegria no porão dos nervos. Não poderá oferecer ao outro o que faltará para si. Começará a acender velas devido à luz cortada de seus olhos, passará a resmungar devido à voz falhada de sua boca.

O desesperançado deixa de fazer convites, restringe os favores, recusa sair, sonega a casa a visitas. Ele é uma ostra que se torna marisco – não tem brilho de pérola para chamar o mar.

A esperança é tempo de ser, véspera, ensaio.

Não se luta pela esperança. Mas, sem esperança, não se luta por nada.

A amargura decorre justamente da ausência de perspectiva.

Alguém ameaçado de perder seu emprego será egoísta.

Alguém separado será apocalíptico.

Alguém falido não dará bom-dia muito menos boa-noite.

Alguém isolado não pensará em ajudar uma velhinha a atravessar a rua ou a carregar suas sacolas de mercado.

A esperança é educação. A esperança é tranquilidade. A esperança é liberdade.

A esperança é perceber que, por pior que seja aquele dia, haverá outro totalmente inesperado.

A esperança é crédito. O crédito é realidade recuperando os atos.

Acaba a esperança, explode a raiva. Acaba a esperança, reina o ressentimento.

A esperança destrói a onipotência, o controle dos fatos. Com esperança, as páginas estarão abertas para a escrita, não escreveremos bilhetes de adeus, não encerraremos o expediente com a morte e o fim.

Um naco de esperança e já somos felizes. Um pouquinho de esperança e já nos recuperamos. Um bocado de esperança e já levantamos o rosto para capturar o vento.

A esperança é confiar em que nada é definitivo, nada é absoluto, nada é perfeito.

Todo homem e toda mulher são generosos quando banhados de esperança. Pretendem mudar, atendem pedidos inconcebíveis, estarão flexíveis e dispostos, autocríticos e atentos. Sem esperança, ficam hostis e intratáveis, bichos com raiva, animais encurralados.

A vida é fácil com esperança. Não tem porta fechada. É possível sair e entrar no mesmo erro. Não existe julgamento e sentença, apenas a vontade de seguir em frente e procurar o lado do sol da calçada.

Sem esperança, não há nem mesmo o perdão.





Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 27/08/2013
Porto Alegre (RS), Edição N° 17535

11 comentários:

Regiane Litzkow disse...

Texto genial, cheio de sensibilidade... Aliás, como tudo o que vem de você.

Nilson Ferreira disse...

Cara, adoro suas mensagens, seus textos e seu jeito de fazer as coisas.

ana disse...

Sem esperança não há nem mesmo a calçada.

Paulo Uemura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Controvento-desinventora disse...

É tão bom, quando lemos um texto e temos a sensação que foi escrito para o momento que vivemos, para regar a "esperança". Bom demais! Delícia! Esperança é não julgar ninguém pelo sapato, mas andar descalço do lado do sol da caçada, sem medo das bolhas nos pés.
bj e saudade

Milene Cristina disse...

Texto maravilhoso. Não há vida sem a esperança.

Anônimo disse...

Seus textos são ótimos. Genial!

Eva disse...

Maravilhoso!

Anônimo disse...

Ja li alguns livros ,vi algumas entrevistas, e admiro a sua forma de perceber o mundo a sua volta com inteligencia emocional ,
A mulher è sem duvida a esperança
De ser mais feliz ao lado dela
De chegar e ela ja estar
De ir e poder ligar
De querer e ela ceder
De beijar e abraçar
De escutar e de falar
De perceber e rir
De se apaixonar

Natalia Verçoza disse...

Cara, eu fico abismada como alguns textos me tocam profundamente. Esse eu li ja pensando: "é pra mim". E é! Meu olhos chega se encheram de lágrimas ao perceber que o que pensava pode ser verdade. Alguem compartilha deste pesamento. Foda! Muito bom. Que a esperança e a sabedoria reinem para fazer muito e muitos textos assim. Obrigada.

Tessalia de Souza disse...

Adoro vc pelo seu paradoxo e sua profundidade.