sexta-feira, 1 de julho de 2016

FIQUE ATÉ O FIM



Texto: Fabrício Carpinejar
Foto: Gilberto Perin

A minha teimosia ajuda a esperança.

Não imagino de onde tiro tanta força de vontade, mas não me entrego mesmo quando nada está a meu favor. Vou comendo o desespero pelas beiradas até a dor esfriar. Não maldigo o escuro, ele evidencia a lua e as estrelas.

Não gosto de trapacear a vida. Não estrago a minha resistência com drogas ou bebidas, não quero que nenhuma substância receba o mérito de minha alegria.

Sou incansável mesmo. Louco de sóbrio. Quando algo é impossível eu cultivo cada passo, caminho até ficar perto dos limites. Depois de me aproximar dos limites, disfarço, finjo que não é comigo e ultrapasso as marcas.

Desobedeço o tempo pois vivo dentro das palavras.

Já era assim de menino. Quando jogava bola na rua e quebrava a vidraça do vizinho não corria para me esconder como os meus colegas de bairro. Permanecia ali observando o estrago e ainda imaginando um jeito de recuperar a bola. Eu me enchia de coragem, apertava a campainha da vítima de nossa malandragem, explicava o que tinha acontecido ao dono furioso, justificava o chute sem querer e a ausência de talento da mira, jurava que consertaríamos a janela e recebia a bola de volta. A educação sempre foi a mãe de meus gestos, para o bem e para o mal, para os desastres e acertos.

Vergonha é não pedir desculpa. Quem nunca se desculpou não saiu do lugar, preso à soberba de jamais se achar errado.

Quando erro não fujo. A decência é ficar. A maturidade é ficar e arcar com as conseqüências. Os problemas não apagam a fé de solucioná-los. Se não sei o que fazer, durmo - o dia seguinte retira a ansiedade e a repetição das ideias.

Minha teimosia não é orgulho. Orgulho é imutável e jamais se dobra, a minha persistência é superar o que já fui e admitir os tropeços como forma de conhecer melhor onde piso.

Coluna Semanal no Jornal O Globo (Blog)
Publicado em 01.07.2016

4 comentários:

ana disse...

Acho que voce nao le os comentarios, mas mesmo assim, escrevo.
Parece que esta usando a sua imagem para arrecadar e todos ficaram decepcionados, pois hoje no Brasil todos estao fazendo isso.
E um poeta carrega aquela aurea de uma pessoa superior.

Unknown disse...

Me descreveu...

Unknown disse...

Me descreveu...

Miguel Lopes disse...

Às vezes é melhor não ler..., vc tem razão sobre o orgulho, fala dele com propriedade; adestre mos esse monstro e doias vivas ao poeta,