segunda-feira, 10 de maio de 2010

FLA-FLU DAS BRASAS

Arte de Iberê Camargo

Marcar futebol é uma negociação tremenda.

Se o jogo é domingo, o marmanjo fica o sábado confirmando os nomes. É uma expectativa de menino. Sofre pavor de trabalhar no final de semana, mas não larga o celular para agendar a turma ao campinho. Não achará tempo para mais nada. O finzinho da tarde dominical será dedicado a se recuperar do cansaço e das lesões ou para lembrar os melhores momentos da partida.

Não existe gostar de futebol e desligar o assunto. É fácil entender a fobia das mulheres com o "joguinho". Não se trata de um esporte com hora marcada, é ser envolvido pelos bastidores de uma campanha eleitoral (Ele vai? Não vai? Por quê?). Não é somente um que planeja e efetua a série de telefonemas, todos se falam entre si para reiterar o convite. A crise aumenta se não é salão e sim sete, mais ainda no momento do futebol de campo.

A histeria masculina repousa nas chuteiras. Caso o homem fosse jogar e voltasse assim que terminasse, pronto, estava resolvido; o pomo da discórdia é que inventa de se concentrar como profissional. Ele é amador no trato com a bola e rigoroso na preparação e nos rituais de véspera.

Tão terrível como planejar uma partida entre amigos é desmarcar um churrasco. O equivalente a suspender velório. Mexe com a hombridade do convidado, com sua desvalia, é arrancar aquilo que foi dado de graça. Gera uma discórdia, uma desconfiança pérfida que abala companheirismos antigos e históricos de infância.

O convidado se colocará como um renegado. Tomado de uma feição bovina, pastará insultos nas próximas semanas. A amizade corre sério risco de virar curral. O anfitrião dependerá de cintura ou de um motivo nobre mesmo para contornar a atitude drástica.

Meu amigo Beto planejou uma ovelha em sua chácara. De repente, não sei qual chave de luz desligou na cabeça do rapaz, gente de cavanhaque é imprevisível, mandou um torpedo cancelando:

"Só agora consegui sentar. Estou com pregas. Faremos outro dia."

Li todo Hegel e Ludwig Wittgenstein para esclarecer o termo técnico. Não digeri o significado de 'pregas', deveria ser um jargão, pois veio de um filósofo.

Não houve dicionário que aplacasse o mistério. Raciocinei por minha conta. Vivia o impasse clássico entre o enigma e o óbvio. Cansado, decidi pelo óbvio. Liguei para os casais convidados alegando que ele estava realmente mal, achava que eram hemorróidas. Espalhei a origem com dó e um pouco de piedade, acrescentando que seria até aconselhável ligar para ver se o patrão melhorou e conseguia deitar.

Visualizava Beto capenga, manco das nádegas, sem condição nenhuma de permanecer vigiando a churrasqueira, com dores infindáveis no quadril. Um homem apenas cancela um churrasco se perdeu a dignidade. Um recuo inédito no duelo de espetos. Inadmissível perante a expectativa da turma: a carne havia sido comprada e recusamos ofertas de comer na casa da sogra.

Churrasco é sagrado, é o Fla-Flu das brasas, o jogo intuitivo do macho contra o fogo, um combate às sombras da caverna.

Anular um churrasco é desertar da revolução farroupilha, ter a licença de assador cassada. Pode arrumar suas coisas e morar no exterior. Seu nome aparecerá na lista de procurados em todos os Centros de Tradição Gaúcha.

Na noite de sábado, Beto me telefona gritando:

- Que história essa de hemorróidas?
- Como assim, Beto? Você está com hemorróidas, não?
- Nãooooooo
(Afastei o fone do ouvido)
- Eu entendi errado, o que é, então, pregas?
- Preguiça! Pregas é uma abreviação de preguiça.
- Abreviar preguiça é muito preguiçoso. Quem manda não escrever a palavra inteira.
- Não vem com balela, trate de esclarecer a todo mundo que me ligou oferecendo conselhos para curar minha bunda.
- Tá louco, melhor ficar com hemorróidas. Aceita, foi uma boa ação, não contarei a verdade para ninguém.

11 comentários:

Anônimo disse...

Muito Bom!!! Adoro todos os teus textos mas esse sim é o que entendo ser muito "natural",ótimo,espontâneo e até mesmo esclarecedor,rs , nunca mais desmarco um churrasco com meus amigos,rs,rs,poderão achar que esyou com "pregas"!!

Bruno Moreira disse...

Conheci seu trabalho pelo Twitter, há cerca de 2 meses, através de Retweets de uma amiga, e já achava suas frases legais lá, mas a cada texto que leio, tipo esse do futebol, acho mais legal a sua escrita. Valeu por fazer meus dias mais legais.

Super disse...

kkkkkkkkkk é bem esse o espírito! mesmo quando o futebol é Sagrado, semanal, tem que ter a função de confirmar, telefonemas e emails,e se queixar de quem falta.

Anônimo disse...

é pra compensar os maus tratos com a redonda... rs rs

Dalva Maria Ferreira disse...

Cruzes!

Laís Suriano disse...

adorei o texto.... muito bom mesmo... parabéns... dei muitas gargalhadas por aqui...

Roberto Borati disse...

HAHAHAHAHAH! Muito bom, muito! Boas risadas nessa terça, depois das trapalhadas de Dunga!


Aliás, como organizo uma pelada, sei muito bem como é essa coisa quando desmarcam...rs

abração!

geovane belo disse...

Pô, Carpinejar, o futebol e o chucarrro são mesmo sacramentos do homem, as mulheres se contorcem diante desse ritual. Muito bem escrito e bem hilariante.
www.geovanebelo.com.br

Elen Cezar disse...

Hahaha...muito bom! Mas acho que pelo Sul desmascar um churrasco é bem mais grave que em outras regiões...

Maria Tereza disse...

kkkkkkkkkk que figura é vc! Adorei "manco das nádegas"! rsrs... =)

Ezio Dallarosa Jr. disse...

Caraca, mais um texto muito bom!!! engraçadíssimo, ri sozinho! Parabéns pela simplicidade sofisticada.