terça-feira, 23 de agosto de 2011

COMO DESMASCARAR O CHORO FALSO

Arte de Edward Munch

O choro é uma arte. Uma obra-prima. Uma Pietà de Michelangelo. Diante dela, nossos olhos se umedecem na hora, o batimento dispara e até nossa boca se ajoelha pedindo perdão pela nossa indiferença nas sinaleiras.

Mas, como toda escultura, é cheia de réplicas e falsificações.
 
E dá para entender o motivo. Desde bebê aprendemos a fazer manha para ganhar as coisas. Perdemos a autenticidade das lágrimas. A cobiça nos distanciou da verdadeira dor. Assim que descobrimos que os pais não aguentam choro por muito tempo, abusamos do recurso cênico e banalizamos o berro. Nossos sofrimentos são, na maior parte das vezes, reclamações. Os gritos não passam de resmungos. Poderiam ser evitados. Têm uma clara natureza forçada.

Desejando prevenir a população da ação dos impostores, estabeleço mandamentos para identificar e reprimir o estelionato emocional:

& O choro depende de soluço. É um engasgo precioso. Choro sem soluço é poço sem roldana. Trata-se de um motor respiratório para atravessar o vale de lágrimas. Numa visão gramática da tristeza, o soluço é a vírgula e o gemido é o ponto final. São pausas fundamentais que garantem o suspense: parece que o sofredor vai falar, mas ele se cala.

& O choro sincero é um miado. Não conseguiremos decifrar o que a pessoa disse. As palavras são completamente ilegíveis.

& O rosto ficará vermelho, inchado, como um ataque de abelhas-africanas.

& O sofredor não vai encarar o outro de modo nenhum, não se chora de cabeça levantada, isso é coisa de novela e de colírio. O choroso estará acovardado, de boca aberta, já que não consegue respirar.

& Não acredite no tipo que bate a porta do quarto para chorar, está chamando atenção, é carência, não choro, o choroso real desmorona onde estiver. Não é possível guardar o choro, criar um fundo de investimento de dor. O choro é pontual, surge no meio do trabalho, no meio da aula, relâmpago incontrolável.

& Em contato com o travesseiro, a choradeira irá atravessar a fronha e o lençol. Se não mofar o colchão, não é choro.

& No momento em que o homem chora, se a voz vem grossa, ele está fingindo: no choro, a voz sempre é fina, distorcida, de gás hélio.

& Mulher nunca chora sem estar pintada. É regra básica, para borrar feio e oferecer espetáculo. Mulher chorando de cara limpa é farsa.

& Se você usa lenço ou papel higiênico para limpar o nariz, está mentindo: quem sofre mesmo assoa o ranho na manga da camisa, e não se importa com os botões.

& O choro é como orgasmo. Não admite discurso depois. Aquele que aproveita o choro para passar sermão é apenas um chantagista.






Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 23/08/2011
Porto Alegre (RS), Edição N° 16802

16 comentários:

Cris Butterfly... disse...

Muitos risos e risos felizes!
Prestarei atenção aos detalhes,e me cuidarei
com o choro falso!

Um abraço, te espero POR FAVOR, no meu blog

**Wendy** disse...

Mulher nunca chora sem estar pintada. É regra básica, para borrar feio e oferecer espetáculo. Mulher chorando de cara limpa é farsa.

Texto perfeito pra uma falsa-chorona como eu!!

Ramiro Conceição disse...

Não esqueçamos do badalo da lágrima
ao bater no travesseiro...

Heidi disse...

De fato, apos este texto sou u definitivamente uma chorona verdadeira..rsrsrsrsrs

Aucilene disse...

Ah, Fabro... nem vem! Sou mulher, quando choro sou verdadeira. Mas não uso maquiagem a não ser um batom. Então o senhor quer me dizer que sou falsa ao longo de quase 50 anos de choro só porque não me "borro"? ai, ai, ai, ai..!!! rsrsrs

bjos
Auci

Vinícius Dill Soares disse...

"Se não mofar o colchão, não é choro."
É uma uma leve ironia gostosa, ou, como disse no twitter, um lirismo crônico, ou uma crônica lírica... Não sei, de fato não sei, e essa dúvida que angustia alça o meu desejo de decifrar-te, cada vez mais.
Obrigado, Mestre!

MARAVILHADA COM A VIDA disse...

só vc mesmo para me fazer rir nesse dia cinza e murrinha!

Bruna Calado disse...

Hahahaha! Muito bom, Fabro. Bem que disseste algo sobre esse choro falso de mulher no youpix aqui em Sampa! Amo tua genialidade!

Aninha Zocchio disse...

Verdade!! É bom que as pessoas fiquem atentas a esse detalhe... principalmente nossos afetos.... ou não?? Caso o choro não seja sincero ai dançamos!!

Ramiro Conceição disse...

Cadáver também chora...


SONHO DE UM CADÁVER
by Ramiro Conceição


Quando teu olhar vestiu-me, soube
que não poderia mais... despir-me;
foi tal qual um mar a batizar-me,
dando-me um verdadeiro nome.
Agora padeço de uma sina:
te perder na curva duma esquina
e tornar-me o sonho de um cadáver
que dorme... quando a alma some.

Tatiana Figueiredo disse...

O certo é que muita vezes o choro alivia....
Belo texto.

Daniele Lopes disse...

Nossa !

Descobri que sou uma exímia chorona falsa !

kkkkk

Abraço !

Libilibi disse...

Ahhh pouxa, tu acabas de revelar meus truques à meu marido =/

Cilla Adriana disse...

Tirando a parte de a mulher chora quando está pintada, está tudo certo mesmo! Quando realmente estou sofrendo muito, choro dessa forma mesmo. Mas também há o choro de alegria; de emoção... Enfim, choros sinceros mas brandos. Que não deixam de ser verdadeiros. Beijos e adorei o blog!

Juliana Carla disse...

Meu marido e meus pais não podem nem sonhar com esses 'mandamentos' do choro falso!Senão estarei perdida rs Adoro seu blog,um abraço!

Claudio Elias Do Nascimento disse...

Jesus Cristo Esta Voltando!!!