terça-feira, 6 de dezembro de 2011

IRRESISTÍVEL

Arte de Man Ray

Três imagens perturbam seriamente os homens.

1ª – A calcinha nos tornozelos.
2ª – A alça do sutiã deslizando pelos ombros.
3ª – O turbante na cabeça na saída do banho.

Formam a santíssima trindade de um relacionamento. Podem vir, depois, TPM, DR, sogra, que a gente aguenta. São paisagens domésticas, lindas, que indicam o quanto nos aproximamos do universo feminino. Se atingirmos a trinca com uma única mulher, nossos olhos estarão grávidos e casaremos. Aceitaremos casar.

A primeira cena sempre foi um fetiche dos amantes, momento derradeiro do sim. Tristes os casais que não se tiram a roupa, tristes os casais que se despem sozinhos e chegam prontos ao ato. Sexo promissor é strip pôquer, combinando desafio, provocação e malícia. Você tira a blusa dela, ela tira sua camisa, você tira a saia dela, ela tira sua calça. Já começam a relação se ajudando – um indício de cuidado e amor no futuro.

Quando uma mulher deixa, então, você baixar a calcinha, demonstra um absoluto voto de confiança. O melhor é quando a peça fica presa nos joelhos e ela levanta um pé de cada vez, como quem pula corda, para se desembaraçar por completo das vestes. Não há como resistir, trata-se de uma dança que culminará em longo abraço.

A segunda cena é sutil e não menos agradável. É coisa de café da manhã. Ela está com uma roupa leve, camisetão branco, muito diferente da produção da noite passada. Não sabe mais escolher como gosta dela; talvez perdeu a censura, talvez ela superou as expectativas. Descobriu que não há como pensar e sonhar ao mesmo tempo; e desiste de pensar. A deusa pega iogurte e sucrilhos. Você não é mais humano, mas uma câmera registrando os mínimos movimentos. Cliquecliqueclique. Na hora de sentar, o fio do sutiã escapa e o ombro dela brilha como a Pedra do Arpoador. O caimento da alça gera uma surpreendente declaração de fidelidade masculina. Assim como ela arrumaria sua gola torta, você cai na cilada e levanta a alça. Ela percebe que nada mais escapa de seu olhar. Você se importa muito com ela. Você é agora ela.

A última cena é a mais sublime. Ela não tem vergonha de sua avaliação, acostumou-se com sua companhia, permite que assista aos bastidores do espelho. Sua paixão sai do banho com uma toalha presa nos seios e uma enrolada nos cabelos recém-lavados.

Apesar de abobado pela intimidade, preste atenção na perfeição do nó da toalha da cabeça. É o cadarço que nenhum marmanjo aprendeu a amarrar, que nenhum escoteiro decorou, é o que fará uma mulher prender você a vida inteira.






Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 06/12/2011
Porto Alegre (RS), Edição N° 16909

32 comentários:

*Sa* disse...

Lindo demais!!!

Amei a forma como você narrou sutis momentos na vida de um casal como marcos na vida destes envolvidos!

Anônimo disse...

Que dirá da surpresa de vê-la pela porta entreaberta do banheiro, maquiando-se displicentemente nua e concentrada em frente ao espellho, com a toalha em turbante na cabeça... em íntimo flagrante. (AC)

Alice Venturi disse...

Acho muito cruel me fazer sofrer a essa hora da manhã...rs

Lindo.

Beijos cariocas...

Alice Mânica disse...

Como sempre, mestre na arte de descrever as sutilezas em um relacionamento amoroso!!!
Achei linda e mandei o link pro meu marido!
Parabéns!

Cecília Pindo disse...

Perfeito.

Anônimo disse...

Muito bom! Você escreve muito bem!!

Anônimo disse...

Que lindo!!

Kinha disse...

Cenas de intimidade preciosas para um casal.

Lucas - www.cascudeando.zip.net disse...

Paisagens excitantes hehehe

samuel disse...

Que texto legal!!! :)

Thales disse...

Graças a deus eu estou ferrado, e incorrido em cada um desses passos. Mas claro que isso só cegueira.

Fernanda Rainha disse...

Ler os seus textos é viver cada um desses momentos mentalmente. Você consegue isso! Coisas que não nos passam despercebidas, mas que só quem sabe detalhar exatamente como se vê, como se vive, como se sente tudo isso.. é você. Parabéns, sou fã!

Cármen Machado disse...

Simplesmente AMEI esta frase:
"Assim como ela arrumaria sua gola torta, você cai na cilada e levanta a alça."
Na mosca!!!!

Welcome to Mary disse...

Carpinejar, sem palavras para dizer o quanto gostei do texto. A grandiosidade na narração dos pequenos gestos e detalhes...

Eliane Ratier disse...

uma delícia mortal!!!

chat gospel disse...

O layout do seu blog esta simplismente d++++++

radioelos disse...

Excelente artigo parabéns

Belem do Para disse...

muito bom seu blog gostei muito

Zinah Alexandrino disse...

Amei as sutilezas dos detalhes...sinal de extrema sensibilidade...minúncias pouco percebidas pela maioria do gênero em extinção...RSRS

Ana Paula disse...

Tu é genial..

Jahnnyne Lima disse...

Bem mais que detalhes... Estas tuas palavras descrevem cenas de um cotidiano que a cada dia se apresenta ainda mais utópico, neste século em que "ninguém quer ninguém". Um belo escrito, uma linda declaração.

Quem sabe fazer... Faz! Você é incrível, Fabrício!

denise disse...

não há mulher que resista a este olhar sensível do seu homem . o homem que se encanta com cada detalhe da mulher, sabe faze-la a mais feliz de todas .

Vítor Thomaz disse...

Que texto gostoso de ler! Principalmente quando tem presenciado esse mesmo momento..
Pela segunda vez em uma leitura consigo "ler de olhos fechados", consigo sentir até mesmo o cheiro do shampoo da terceira cena, ainda que apenas em uma leitura!
Parabéns !

Abs,

Rodrigo disse...

Sou admirador dos detalhes femininos e até dos defeitos: a flacidez serelepe dos seios, a barba íntima por fazer, as estrias e celulites que somem no apagar da madrugada, coisas que a mulher parecer fazer compensar levando-nos à loucura, no leito dos amantes.

Anne Baylor disse...

Que texto.
Que texto!!!
Nossa!!!!!

Aline Félix disse...

Que texto mais lindo... É espetacular a forma como administra com as pontas dos dedos as pequenices do cotidiano.

Naty disse...

Sempre lindo!!

Cuca disse...

Que texto maravilhoso!!!!!!!!!!!! AMEI

Anônimo disse...

poetico e romântico...tinha que falar para as mulheres...

Monica Trugano disse...

Cara,q lindo! Consegui sentir cada momento como se alguma vez já os tivesse presenciado... Mágico! Amei!

Anônimo disse...

Um texto maravilhoso!Gostei do comentário da AC...lindo!

Izabella Viana disse...

De uma sensibilidade sem tamanho.