terça-feira, 27 de dezembro de 2011

TENHO UMA FILHA DE 18 ANOS

Foto de Cínthya Verri

Mariana completou 18 anos ontem. Ela diz pai pai... sempre duas vezes, acho engraçado, não é apenas pai!, mas pai pai..., um chamado reticente, com eco de montanha, a me procurar pela casa. Talvez dobre a paternidade para recuperar os dias e os anos que não esteve comigo. Moramos juntos desde 2010. Já sofremos a distância, o medo de ser esquecido. Agora dividimos o mesmo telhado de estrelas para comemorar sua maioridade.

Tenho uma filha adulta. Uma filha crescida. Sinto-me importante, não me vejo envelhecido.

Mariana é altamente vaidosa de suas palavras. Exatamente como eu.

Lê devagar para não perder nenhuma frase. Não suporta uma palavra sem significado. Carrega minidicionário na bolsa. Nunca ri disso, acha que o escritor é um turista da própria língua, não tem vergonha de perguntar o óbvio e colecionar sons.

Mariana é uma tímida esbaforida. Exatamente como eu.

Aquela figura atrapalhada que tenta não chamar atenção e acaba atraindo o dobro do apelo. Entrará de fininho em sala de aula, atrasada, e derrubará metade dos livros. A turma inteira vai girar o rosto em sua direção.

Mariana é ansiosa. Exatamente como eu.

Para esperar um torpedo de namoro, inventa o inferno. Para esperar uma reconciliação, come uma caixa de bombons. Para ganhar um abraço, briga e grita como um bicho. O que mais desagrada na história do mundo é a paciência. Tem uma pressa para ser feliz. O amor é para ontem, hoje é tarde.

Mariana é distraída. Exatamente como eu.

Não que tenha problema de atenção, é o contrário, um excesso de escuta, acompanha duas ou três conversas simultaneamente e pretende participar de todas.

Mariana é debochada. Exatamente como eu.

Cria conflitos para sair do tédio. Faz piadas solitárias, provoca as pessoas a tomar partido, polemiza por prazer e testa os limites dos outros. Poucos entendem sua rápida mudança de posicionamento: desagrada com fúria e logo avisa que era brincadeira.

Mariana tem meus olhos tristes e caídos, minha paixão por dormir tarde, meu receio dos armários abertos, minha curiosidade pelas geladeiras dos amigos, minha superstição com escadas, minha inclinação por roupas coloridas e extravagantes.

Mas sou mais pai quando minha filha não se parece comigo. Quando ela não me repete. Quando ela é ela e mais ninguém.

Mariana, por exemplo, perdoa com facilidade a vida, bem diferente de mim, que não desculpei o tempo que não fiquei perto dela.






Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 27/12/2011
Porto Alegre (RS), Edição N° 16929

37 comentários:

Dani disse...

que lindo, fabrício.me emocionei.

passei alguns anos morando longe do meu filho também.

lembrei do paris, texas.

acho que os filhos sempre perdooam o tempo que deixamos de passar com eles.

Viviana disse...

Adoreiii...

Felicidades para Mariana!

Carpinejar tu és show!

Gel Aquino disse...

A gente perdoa, só não entende porquê vocês não fazem isso com vocês também.

Andre disse...

Adoro declarações de amor!
Tu és um pai muito queridão! :)

Tatiana Lazzarotto disse...

Comovente demais, sensível demais. Se Mariana fosse manteiga derretida feito eu, choraria litros.

Alessandro Kny disse...

Coincidências da vida... tenho também uma filha... ela também tem 18 anos... e também se chama Mariana...

Essas Marianas, fazendo nossa vida ter sentido, melhor amiga.. filha querida.. aaa estas Marianas

Michele disse...

Lindo!
Parabéns Mariana pelo aniversário e por esse pai maravilhoso!

diariodagataborralheira disse...

Sim, os filhos perdoam, o perdão sempre vem porque há amor, mas as marcas dessa separação são uma coisa muito difícil de mudar, e vivem em nós, como um espelho.
Mariana é inteligente, e muito mais perceptiva, não tem paciência porque o mundo é lerdo demais.

Cleyton Cabral disse...

Lindo, lindo.

juliana disse...

Que lindo Fabrício, bela declaração!

Nina disse...

Esse texto ganhou meu dia, coisa mais linda!

Bete disse...

ACHEI INTERESSANTE A SEMALHANÇA COM MINHA FILHA!
BELO TEXTO.
BETE

Rosi Alves... disse...

Me emocionei,o tempo realmente não tem piedade!Beijos

Renata disse...

Lindo! Eu fiquei deprê qd minha filha fez dezoito! Quando ela entrou pra faculdade então...nossa!Não consigo entender como passou tão rápido, dia destes ela estava indo pro jardim de infância pela primeira vez...

Luciana Santa Rita disse...

Lindo e perfeito! Não tenho dúvida que Mariana tem o melhor de Carpinejar! Beijos.

Chris Macêdo disse...

Que lindo... aproveite esse reencontro. Não importa o tempo que passou, o que vale é o amor de agora. Bjos

Silvia disse...

Uma verdadeira declaração de amor.
Desejo um excelente 2012, com muitos outros textos como só você sabe escrever.

Roseane Almeida disse...

Que lindo e pungente este amor, que a convivência tardia só faz crescer e florescer. Que a vida os permita juntos por tantos anos, sempre se descobrindo.

Silmara Colombo disse...

Volte a Sertãozinho, temos saudades da sua presença.

Paola Vannucci disse...

ótima postagem,
ainda quando se trata de algo verdadeiro e familiar

beijos

Carol disse...

Lindo o texto. Parabéns à Mariana, pela maioridade e mais ainda por saber que o tempo passa, mas o amor fica. Um beijo.

Tania Aires disse...

Lindo, lindo, muito lindo!!!!!

mariana f. disse...

eu acho que também posso ser filha do Fabrício!!
KKKK
perfeito..
ah, e satisfação. Mariana! :D

Ramiro Conceição disse...

Sim,
o amor é para hoje,
amanhã será tarde.

OS VIRA-LATAS
by Ramiro Conceição
Toda gente
tem seu tempo
de cão largado,
de cadela rejeitada,
de cachorro chutado, porém safado,
rafeiro com pedigree de vira-lata do
amor.


PS:
1) Feliz Ano Novo a você, Fabro, e à sua família.
2) Em 2012, certamente, nos encontraremos por esses Brasis.

Priscilla Way disse...

Ai,que lindo!
Me identifiquei com vc! ou seria com a Mariana? rsrs'
Estava lendo uma a revista Literatura e aí te descobri.Adorei ;D

Seguindo.

Parabéns pelo o que você escreve,já vi que esse blog vai ser daqueles que me salvam quando estou sem livros.

Silene Neves disse...

M A R A V I L H O S O!!!

Perfeitamente poético! Belo! E o melhor de tudo... é que é verdadeiro!

Parabéns pai e filha!

Beijo doce...

Sil

Anônimo disse...

Nada mais alegre do que os filhos em casa...
adorei a foto de voces. Feliz 2012!!

Eliane Ratier disse...

Lindos, os dois. Beijos em ambos pelo aniversário de Mariana.

vervedirlass disse...

Fabrício, será que temos algo em comum?
-Temos filhos com a mesma idade.
-Temos filhos com a mesma data de nascimento.
-Temos filhos "debochados".(sem intenção de magoar, mas que as vezes sem querer; magoam). Porque há os que debocham para machucar.
-Temos filhos anciosos (o amanhã tem que ser hoje).
-Pra estar com a namorada, meu filho usa seu poder de persuasão (eu vejo, está sempre mandando torpedos).
-É determinado quando está curioso (não sossegou enquanto não conseguíu saber qual era a surpresa, que a namorada reservara. (as vezes, acho que essa curiosidade dos jovens é puramente, medo, insegurança; por temer "o desconhecido").
Fabrício,será por que são do mesmo signo?
Fabrício, será porque são jovens?

Fabi M. disse...

"o escritor é um turista da própria língua"
Linda e emocionante crônica! Sucesso sempre, Carpinejar.

Áurea Rabelo disse...

Lindo, lindo texto, linda descrição..
Mais lindo ainda é você observar tais características da sua filha (isso é pra poucos), lindo é você conhecer a sua filha e reconhecê-la em você e ao mesmo tempo vê-la sem vê-la em você.

Resumindo linda paternidade você tem e que ela seja sempre linda, pq ousar das lindezas da vida nunca é demais. Muito amor entre vocês.

Fernanda Rodrigues (Fê_Notável) disse...

Chorei lendo o seu texto.

Tenho certeza que Mariana sentiu muito orgulho e felicidade ao lê-lo.

Steffi de Castro disse...

Que lindo! Amei seu texto, Carpinejar, aliás, como sempre gosto de todos os outros. A Mariana deve ser uma fofa ♥

Fátima Nascimento disse...

Que belo "abraço" dado em sua filha. E este é pra sempre. Deus abençoe sua família! Novas conquistas, muitas alegrias, imensa PAZ em 2012 e anos seguintes, sempre num crescente.

Ramiro Conceição disse...

Aos nossos filhos e netos...



EPISTEMOLOGIA DO SUL
by Ramiro Conceição


Desejo o conto de fadas
que conte efetivamente
a história dessas casas.
Aquele que não é um mero sonho,
mas somatório de conhecimentos.
Aquele em que as fadas são do Sul,
não daquele Norte abissal, obscuro.
Bem-vinda seja a travessia ao tempo dos diferentes
e que se dê realmente a conquista que vale a pena:
a celebração solar à Vida.

Era uma vez…

Anônimo disse...

Que lindo este amor. Tudo o que escreves é poesia, mas me tocou D+ esta declaração de pai para Mariana. Já havia chorado com a crônica de hoje Onde mora a Felicidade.Desejo que em 2012 fique mais aguçada ainda esta tua capacidade de perceber a alma de pessoas como Felicidade.

Simone disse...

Lindo isso!!!