terça-feira, 9 de agosto de 2016

MOLETOM NA CINTURA

Reclamei das polainas nas mulheres. Por uma questão de justiça e igualdade dos gêneros, não posso deixar de criticar o moletom na cintura, espécie de polaina entre os homens.

Sei de um candidato a emprego desclassificado numa seleção porque estava com o moletom na cintura. O gerente de RH bateu o olho naquele centauro cafona esperando na salinha e já o dispensou sem direito a apelações e falsas esperanças.

Vestir moletom indica mau gosto, exibi-lo no quadril acaba com as dúvidas sobre a regeneração do sujeito.

Concordo que a malha pendendo como um rabo tem poder de veto na admissão de qualquer trabalho.

O moletom na cintura é andar com uma vovó abraçando as pernas. Tem um quê incômodo de arrasto. Como um para-choque solto de carro. Como atropelar uma baliza.

Carregá-lo na cintura é prova de preguiça. Se o homem não é capaz nem de levar o moletom no braço, certamente repassará tarefas adiante e procrastinará no computador.

Moletom nas costas é coisa de tiozão, moletom amarrado na cintura é de alguém que ficou preso na garagem de uma reunião dançante.

É um vexame masculino. Será que o cara levou a sério o pedido materno de não esquecer o casaco? Não entendeu que era apenas uma formalidade?

Ao mesmo tempo que envelhece a aparência, infantiliza o caráter. É pôr um ursinho de pelúcia no lugar do cinto. Não enfeita a roupa, estraga.

A princípio, sugere a prevenção ao frio do entardecer com uma roupa reserva. Só que o portador esquece de um detalhe básico: calça não é cadeira, calça não é armário, calça não é cabideiro.

O moletom na cintura é próprio do homem querendo usar saia, porém sem a devida coragem para enfrentar a censura dos outros. Ele disfarça o seu flagrante desejo improvisando um saiote. Não é assumido, e busca se enganar ao máximo com permanentes gambiarras.

O macho que amarra o moletom começa a rebolar estranho e exagerado. Não anda, desfila. Baixa uma top model do umbigo para baixo. Se a mulher se esconde com o moletom, o homem vira uma saúva e aumenta o seu requebro.

Há uma regra fundamental na moda. Duvide de tudo o que é quentinho e confortável.

Publicado no Jornal Zero Hora
Coluna Semanal
09.08.2016

6 comentários:

Anônimo disse...

Ah, cara! Logo tu que usas umas coisas estranhas, vem falar de moleton? Que homem que usa moleton é porque quer usar saia? E as tuas unhas pintadas? E a tua "alma feminina"? Deixe que cada um cuide de si.

Mariana Penna disse...

Como eu adorava na minha infância andar com o moletom na cintura na escola. No busão na volta da escola. Era tãooo bommm ser livre. Já que a onde é de protestos, vou organizar um pela volta do moletom na cintura. É um saco carregar moletom na mão!

Anônimo disse...

Primeira vez que não gosto de um texto do Fabricio. Bem tolinha a relação do moleton com o uso de saia. Acho que se trata de um comportamento adolescente ou, como disse o autor, "infantiliza a alma". É desleixado. Não há nada feminino nisso.

Eduardo Carvalho disse...

é ironia isso? espero que seja...

Anônimo disse...

ta mais para despeito heheheh...

Dalva M. Ferreira disse...

Só sei que é feio pra cachorro.