segunda-feira, 1 de novembro de 2010

XIXI DE PORTA ABERTA

Arte de Torres García


Duas gurias trocavam confidências na janela do bar Ocidente. Pensei que estivessem falando eslavo, alemão, russo, não definia a língua. Do mundaréu de chiados, saltavam palavras como saudade, vingança, grosseria, que me abrasileiravam de novo. Era mesmo português, mas modo queda livre.

Fui notando que mulheres conversam assim, com o triplo da velocidade de um papo masculino. São como feirantes vendendo os abacaxis e os morangos dos relacionamentos. Emendam cenas, comentam o passado, atalham o futuro, zoam e se confortam em seguida. Evidente que a explicação para o excessivo conteúdo em poucos minutos é que estavam com a conversa atrasada. Não vale, mulher já nasceu com conversa atrasada.

É impraticável acompanhar ainda que seja o próprio idioma. Tonteei somente de olhar.

O que me leva a crer que – pela comparação – toda esposa se comunica com o marido como se ele fosse um retardado. Lenta, maternal, didática. Chega a apontar para facilitar o entendimento. Apenas aumenta a rapidez do raciocínio na briga, daí não adianta, ninguém escuta mais.

O que me leva a comprovar a aptidão da fêmea para iniciar diferentes assuntos e não terminar nenhum. Mulher acumula inícios. O homem tem dificuldade de começar, por isso é absolutamente linear e monotemático. Quando seu macho fala de futebol, vai falar de futebol até o fim. Perca a fé de que ele possa mudar o tema e o canal.

O que me leva a entender o hábito bem irritante da mulher de fazer xixi de porta aberta. Ela não pretende interromper a conversa. Nunca. De forma nenhuma. Pra quê? É a sua diversão, com ou sem motivo. Xixi é irrelevante perto da possibilidade de esmiuçar dilemas de seu dia e fofocar sobre o trabalho.

Tanto que há um silêncio mortal no banheiro público masculino e um alarido descomunal no feminino.

Minha namorada entra no toalete de nossa casa e continua papeando. Dispensa licença. Nos primeiros momentos, ficava mudo, esperando que ela terminasse. Mas ela gritava: – Não tá me ouvindo? E me obrigava a responder, apesar do barulho da descarga e da torneira.

Como qualquer barbudo, eu fracasso na adoção de sua mania. Tenho problema de conversar enquanto tento acertar o alvo, operação que desprende concentração e domínio total das forças. Naquela hora, não presto para oferecer conselhos, ser simpático, muito menos dizer “eu te amo”. O alívio do esguicho altera a dicção, vem um gemido do fundo do pulmão. Falta tecnologia mesmo no corpo.

O que me leva a concluir que não tem jeito; sou burro como uma porta fechada.





Publicado no jornal Zero Hora
Interino de Luis Fernando Verissimo, p. 2, 1º/11/2010
Porto Alegre (RS), Edição N° 16506


37 comentários:

Rob Novak disse...

"O alívio do esguicho altera a dicção" isso é verdade, não há como ser claro e coeso durante esse momento.

Boa crônica.

Abraço.

Leonardo C. disse...

hahaha excelente! Aqui em casa também é assim, tenso esse hábito delas...

L. S. Dias disse...

A teoria faz sentido, algumas mulheres atribuem ao ato de conversar valor maior que o pudor das necessidades fisiológicas demandaria. O que não desculpa a indelicadeza para com maridos e filhas(os).

Dani Gomes disse...

Carpinejar,

Você chegou ao "x" da questão: o fato da mulher fazer xixi de porta aberta denota nossa capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Somos multifuncionais por natureza!

Belo texto!

http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

mihah disse...

É aquela velha história que os homens fazem uma coisa de cada vez e as mulheres algumas poucas ao mesmo tempo.


Muito boa a crônica.
Abraços, Má.
____________

http://www.odeavida.blogspot.com/

Diana O F disse...

Bôa!!! D+ sua sacada!!! Mandei meu marido ler, para ele parar de reclamar e, simplesmente, me entender e aceitar o meu jeitão, q na verdd não é só meu...
Hahahahaha...

Sucesso para vc!!!

Bjsssss

Fátima Nascimento disse...

Eu fecho a porta e suspendo a conversa. Sou a exceção, portanto.

Teia de Textos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
!*•. Thay .•*! disse...

Coisa mais verdadeira não há...
;)

Stephanie Zuma Lacerda disse...

Poxa vida, descobriram toda a verdade!! :)
Amei.

Sole disse...

"Mulheres conversando, comentam o passado, atalham o futuro, zoam e se confortam em seguida" Fabro, não tem como n te admirar muito!!!

Eu sou bem a mulher q faz xixi e continua falando, minha filha, às vezes, me odeia por isso, hahaha

bjos

Daiane Bastos disse...

"Mulher acumula inícios..." Perfeito!
Vc é o melhor no quesito "detalhes"!
Admiração imensa pelo seu trabalho!
Forte abraço!

luliduncan disse...

Texto maravilhoso. Não consegui conter a risada alta. Poucos homens alcançam a sensibilidade de conhecer as mulheres.

Parabéns pela forma como escreves. É maravilhoso.

Mariana Goulart disse...

Sensacional!!! ahahaha

Rose Novaes disse...

HAHAHAHAHA caraca, sensacional!

Nós, mulheres, falamos muito... e muito rápido, e com todas ao mesmo tempo. Basta ficar uns 3 dias sem falar com a amiga/amigo.
Como vc mesmo escreveu: "Mulher acumula inícios..."
=)
Às vezes, sinto, que qdo o melhor amigo da mulher é homem, ele não consegue acompanhar.

Boaaaa sacada!

Adoro suas crônicas.

Rê Galvão disse...

Não só fecho, também tranco a porta! E detesto conversas gritadas! rs...Acho que sou meio homem!
Mas a teoria procede.
Muito bons seus textos.

Robs disse...

Maravilhoso!! Mas devo dizer que eu ODEIO fazer xixi de porta aberta. Salvo raras exceções em que estou em minha casa. Agora, a concentração para mira foi a melhor. Adorei!!

Juliana Souza disse...

Mulher adora dizer como se sente né? Até admitir como faz xixi.Só pra dizer eu faço assim,eu faça assado. Uma enorme necessidade de auto-afirmação.Pecamos pelo excesso.

Humberto de Lima disse...

Até o pensamento trava um pouco na hora de esvaziar a bexiga! Acho que em nós, homens, o xixi produz um certo êxtase...

Mayara Almeida disse...

Adorei a frase final, assim como o texto todo, haha.

Lucia disse...

Adorei!!! Finalmente alguém escreve sobre o xixi de porta aberta e a necessidade de comunicação de nós, mulheres. Há tempos leio teus textos e vivo 'retuitando' frases tuas. Abração de fã!

Vampira Dea disse...

Vc foi ao ponto já tinha tentado explicar esse nosso funcionamento (das mulheres) pra meu marido e ele nunca entendia e agora vendo o lado de vcs (homens) também passo a entender melhor.
Rapaz vc tem que abrir um consultório, vai impedir algumas guerras.

ana disse...

Não são só as mulheres que fazem xixi de porta aberta. Os homens também. Acho que é um hábito da infância que persiste, quando nossas mães diziam para não fechar a porta.

Webert Gomes disse...

Por Deus, como ri com esse texto. Fui aos soluços. Kkkkkkkkkkkk! Mto bom!

TÂNIA CAVALHEIRO disse...

Dizem que Chico Buarque entendia as mulheres melhor que ninguém...
O ULTRAPASSASTE DE LONGE!
Só um pequeno detalhe: sou como a Fátima lá de cima a excessão; quando vou ao banheiro, fecho a porta, passoa a chave e abro a torneira.
Nem minha mãe saberia o que se passou lá dentro.

BELÍSSIMA CRÔNICA, mais uma vez!

Aninha disse...

:-) Esse é o único lugar que preciso de silêncio e algumas revistinhas.. rssss.
Também não me ajeito com conversas na hora da meditação. Mas que nós mulheres já nascemos com a conversa atrasada isso é!!!! E precisamos mesmo conversar "maternalmente" com nossos amores sim... senão vocês não entendem!!! :-)Adorei o texto!!!!

sandra disse...

adoro deixar a porta do banheiro aberta, pra conversar e escutar a conversa dos outros, não perder nada do que se passa lá fora, nem que seja por este instante. No interior fizemos uma casinha pra descansar e levar amigos, quando tomamos uma cerveja e a mesa está cheia de muita conversa, quem vai no banheiro não perde a prosa. Colocamos uma porta de buraquinhos, arejada e comunicativa... hahaha, muito inspirado na realidade feminina seu texto, que sensibilidade tem com suas observações do nosso mundo meio complexo! PArabéns, você é demais!

Cl@udinh@ disse...

Eu sou sua fã...
Tudo de bom esse texto! :)

Bárbara Cunha disse...

Oi, tô te seguindo !

Dá uma olhada no meu blog:
http://www.afigurinista.blogspot.com/

se gostar, me segue também !

Abraços

Anônimo disse...

Estou adorando conhecer sua arte, e cada dia que passa tanto suas telas quanto seus poemas, encontro afinidade com a minha própria manifestação artística. Moro no interior de MG, e como vc acha que posso descobrir se existe algum potencial sobre oq eu produzo, já que aqui fico tão isolada e a internet, apesar de ser uma porta muito grande ao mesmo tempo que isso facilita, isso dificulta, pq é difícil inciar, não sei como fazer isso oq vc acha disso? @helenmmartins

Jack vestida de loba e uivando...ou balindo? disse...

De minha parte, falo pouco,e xixi na frente dos outros acho é mto feio!
Massss...conheço quem leva o telefone pro banheiro pra continuar falando...uó! rs

Gosto mto de vir aqui ler o que vc escreve!
Abraço ai!

ATIRANDO PRATOS PELA JANELA disse...

Eu estava no Ocidente, no dia do seu aniversário, na janela e conversando...só que com um rapaz.
Não foi desta vez que virei crônica.
òtimo texto!
Sucesso!!!

disse...

Adorei... Fazer xixi de porta aberta pra NÂO ter que interromper um bom papo é beeeem a nossa cara...rs!

Anônimo disse...

Como disse alguém neste espaço, é verdade! Quando temos um amigo homem a impressão que temos é que ele não consegue acompanhar tudo, até que ele alcance nosso pensamento pra dá uma opinião,já nos perdemos em meio a nossos pensamentos e queixas...
Outra mulher não, no começo da conversa ela já sabe o que nos responder. Ainda assim dois homens são os meus melhores amigos, hahaha.
Aline

Ana Clara disse...

acho que eu nunca fechei a porta!!!
HAHAHAH


será que tu vai olhar meu blog?

www.escrevendo-nachuva.blogspot.com

Maria Tereza disse...

Sou mulher, mas nesse aspecto pareço homem: preciso de concentração pra fazer xixi. rsrs..

Anônimo disse...

ODAIR
AMO MULHER QUE FAZ XIXI DE PORTA ABERTA,PRINCIPALMENTE AS QUE FAZEM DE PERNAS BEM ABERTAS,BEM ALTO E EM BOM SOM, E AS PELUDAS.

UMA CENA DESSAS, E UM SOM DESSES. NÃO TEM PREÇO!