terça-feira, 7 de dezembro de 2010

PELOS SUSTOS DE TERNURA QUE SEMPRE ME DÁ



Branquinha!

Depois de dois anos é que confessou que gostava de Fafá de Belém. Pensou que eu não aguentaria. Você tem dessas. Acha que não será amada como se amou. Acha que pode resolver tudo sozinha. Já ouvi gritando num desentendimento: "Não tem problema, cuido de mim, tô acostumada". Se fico preocupado, diz que é uma forma de culpá-la. Não deseja incomodar. Odeia depender do amor de um homem, que é muito pior do que depender de um homem. Odeia me amar porque contrario tudo o que esperava da independência de um casal. Talvez se perceba abençoada por uma maldição. Eu me assusto sempre, você que não prevê. Susto de ternura. A ternura me excita. Adoro quando come e transforma todo alimento em molho dos outros. Adoro quando escolhe uma calça e põe a pilha delas no chão, para não esquecer qual usou. Adoro que chama seus melhores amigos de amado/amada e seus pacientes de flor. É uma floricultura ao telefone. Adoro quando me dá uma série de beijinhos pelo rosto, como se me banhasse de sopro. Adoro que deixa as portas abertas do armário da cozinha para me lembrar do que falta comprar no mercado. Adoro que adormece de repente e acorde, elétrica, procurando recuperar a excitação noturna. Adoro que pode dirigir a cidade inteira de ré, segurando minha mão: seu retrovisor. O que também não confessei é que gosto de Fafá de Belém.


Publicado na Revista Cláudia
Dezembro 2010, P. 116
Nº. 12, Ano 49

30 comentários:

solfirmino disse...

Eu adoro essa ternura que exala de vocês, mesmo quando ela te mata, ela o faz com ternura.

Paula Santana disse...

Lindoooooo, adoro saber do amor alheio e chorar...pensar q o amor cura! msm gostando de fafá de belém....fã de vc e agora do seu amor pela branquinha...q tb sou fã dela.

Milena disse...

Que linda demonstração de amoooor :)
Me emociona!

Carolina Faria disse...

Que lindo cara!
Muito lindo. Admiro de coração a sinceridade e o dom que você tem de escrever e fazer a gente viver a situação.
To até mais alegrinha agora.
Parabéns pela Cinthya. E felicidades ao casal sempre.
São homens como você que alimentam a esperança que ainda pode dar certo!!! hehe

Robs disse...

Não posso negar que ao ler, meus olhos ficaram "rasos" d'água. Pura e simples de emoção.
Acho que todo ser humano deseja ser visto e bem quisto desta forma. Ver as estrelas que o amor puro e sincero craveja no coração.

Parabéns.

Dani Gomes disse...

E eu adoro que as pessoas ainda se adorem assim!

(Um pouco de esperança não faz mal a ninguém...)

http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

Elaine Andrade disse...

Ahh delicia isso.
Li um texto dela falando de uma ida ao cinema de vc, aonde ela teve um ciume doido e tudo mais. Parece que vc escreveu alguma coisa a respeito também, gostaria muito de ler, qual o título do texto pra eu procurar??

Bjão e luz sempre.

Maraysa disse...

Maravilhoso! Parabéns ao casal!

Mileny disse...

É muito bom ver casais assim, em sintonia.
Falar o que do amor... um lance delicioso!


Beijos!

Antonielson Sousa disse...

Já sentiu “seus ossos esfriarem” e seu corpo reagir de maneira confusa quando está próximo à pessoa amada, ainda que sem saber se pelo menos despretensiosamente ele é correspondido?
Pois é, o amor tem disso. É controverso, impugnante. Age com sua própria razão, apoderando-se de nossa alma. Torna-nos seres vulneráveis e ao mesmo tempo dependentes.
Sem disfarces, sem certezas. O amor é essa magia sinuosa, que o faz tão completo. Pulsa em nossa veia de forma magistral, imponente. É capaz de infringir as desavenças; de nos fazer rir mesmo quando não encontramos o verdadeiro motivo para isso, ainda assim, parece a melhor forma de expressar-nos.
O amor é a única energia inteligível capaz de tocar em nosso coração. Capaz de virar do avesso nossas idéias, nossas verdades. De nos fazer sofrer, chorar, sorrir.
O amor é esse vento irreverente que transcende a realidade. É a culpa, a insensatez, a lógica inconveniente.

Crônica escrita por Antonielson Sousa

Pri disse...

Invejinha boa: Eu hei de ter um amor desse!

Beijos ao casal mais cuti!

Helena Reis disse...

Eu não tenho mais nada a acrescentar.
Faça minhas todas as palavras dos comentários acima.
Um beijo para os dois.

Rita disse...

Amei o texto! Parabéns, sucesso e beijocas festivas e comemorativas para ambos!

Renata disse...

Fabrício: virei tua fã!! É muito bom saber que existe um amor tão sincero e recíproco... Acalma o coração e a alma.
Muito obrigada!

Re disse...

Lindo! Delicado! Adoro todos os seus textos, Fabrício!

Lilian Barcelos disse...

como dizer eu te amo, sem dizer "eu te amo"

Lara. disse...

(...) Amor precede incondicionalidade, não cobra nada para existir. Faz com que se abra mão da própria vontade por se projetar no outro, por depositar no outro todo o tipo de sensação, por sentir pelo outro, como se penetrasse em seu âmago, como substituísse a si. O qual faz com que se aprenda a enxergar além do próprio centro. O qual estabelece um contrato de eternidade. Faz com que se esqueça as palavras rudes, os defeitos, as ofensas, os dissabores e os odores. E ainda proporciona a visão da beleza pura e simples dos detalhes, de um jeito de falar, de um meio sorriso, de um pensamento. Com certeza o mais alto e sublime grau de compreensão humana. Há quem diga que ele não exista. Há quem diga que sim.

Larissa F disse...

Foi uma das coisas mais emocionantes que ja li nos últimos tempos. Uma singela lágrima me escorreu dos olhos; me fez bem. É bom saber que há um amor assim, tão inspirado e inspirador, cotidiano... vc me inspira. Sou sua fã desde o Jô.

Fátima El Kadri disse...

De arrepiar! ... e suspirar!

Cele disse...

Olha, sorte de quem pode viver isso e saber que raros são esses encontros. É muito difícil encontrar e mais difícil se acostumar com perder. Mas c'est la vie! Muitas felicidades para os dois!

Marcele

www.naoquerooutrolugar.blogspot.com

aline disse...

suspiros e algodão-doce...

dja disse...

uiaaaaaaa, lindo o amor de vcs , faço das palavras das meninas acima, as minhas, parabéns pra vcs, e é bom saber que amor assim ainda existe, que as pessoas ainda sabem se doar. bjinhoss aos dois.

Leandro Lima disse...

Ah, o amor... =)

Maria Tereza disse...

é amor demais, né?! tão bom amar assim! =)

juliana disse...

Que lindo esse amor, bjos e vida eterna à vocês dois!!

Samy Vallo disse...

Eu chorei.
Chorei tanto lendo esse texto que pensei que ia desmaiar... Uma mistura breve de tpm e solidão de recém solteira...
Que a Cíntia me perdoe mas, Eu te amo, cara...
Por tudo que me faz sofrer em seus textos...

Anônimo disse...

Carpinejar,

Você é um mestre com as palavras! Que invejável essa habilidade sua em se expressar de tal maneira. Sou um escravo do amor e da literatura, identifico-me muito com seus textos, não sei amar pouco, sou um guloso carregando fogo sem fim, pensando tão assustadoramente igual a você quando escrevera A Mulher Perdigueira e outras tantas crônicas sobre os homens "loucos" que ainda têm ética e valorizam a mulher. Minha amada reclama de meus exageros, prometo diminuir, não consigo, e felizmente ela permanece a retribuir, a deixar ser por mim conquistada e me surpreender, cedendo e seduzindo também.
Nada mais feliz que sofrer por amor.

Sucesso em seu caminho, companheiro! Que meus filhos que ainda virão leiam seus textos e sigam esses dignos pensamentos por nós compartilhados.

Abraço.
TCC

Fátima Nascimento disse...

Adoro quando a simplicidade ganha status!

Anônimo disse...

Fabrício vc é "O CARA" Seu dom de comunicação é nato.E a gente aprende com vc tantas coisas lindas ,coisas que fazem parte das nossas vidas tb . e que vc nos faz lembrar e acreditar que o amor existe e que existem pessoas corretas.
perdão cinthya mas eu amo este poeta (te preocupa não), bem claro: o poeta!
E vcs como casal que sejam sempre abençoados por
serem como são um para o outro.
vou tratar de fazer a minha carteirinha de fã dos casal heheheh...\0/
abraço da arlete.

Aline Patrícia disse...

Coisa mais linda, confesso que fiquei cheguei ao final da leitura extremamente tocada, um amor construído na convivência, nos detalhes tão particulares da vida a dois, desafio.
Abraços e felicidades para o casal. :)