terça-feira, 29 de maio de 2012

MINHA RITALINA

Arte de Paul Klee

Muitos não entendem meu fôlego, minha disposição. Explico.

Pai não reclama, faz - aprende a realizar duas ou três tarefas ao mesmo tempo, estudar de madrugada, acordar cedo, conciliar dois trabalhos, criar uma maneira de pagar escola, residência, alimentação, futuro.

A paternidade é minha Ritalina. A paternidade é meu guaraná cerebral. A paternidade é meu Red Bull. Meu energético.

Ouça meu comentário da manhã de terça (29/5) na Rádio Gaúcha, no programa Gaúcha Hoje, com Antonio Carlos Macedo e Daniel Scola:

4 comentários:

✿ chica disse...

ADOREI te ouvir!!Muito legal mesmo.Tens razão!! abraços,chica

Dudu Schneider disse...

Fabrício, tu pensa em publicar em texto? Ouvi tua crônica, como sempre faço, e gostaria de levar para casa em papel, para que seja lido por mais pessoas! (Minha mulher, hehehe...)

Abração!

Kinha disse...

Não é fácil, rs

Eustáquio Pereira disse...

Boa receita!