terça-feira, 1 de maio de 2012

O ÓDIO É EXCESSO DE EXPECTATIVA

Arte de Magritte

Pessoas me odeiam ou porquem recusam o meu jeito espalhafatoso ou porque sou teimoso ou porque simplesmente não vão com a minha cara ou porque demorei a responder uma mensagem ou porque não concordaram com uma frase e não ouviram o resto ou porque sou colorado ou porque me conheceram na rua e não me acharam simpático ou porque pinto as unhas ou porque me acham machista ou porque me consideram feminista ou porque me enxergam como romântico ou porque o silêncio cheira a prepotência. A essas pessoas eu gostaria de dizer que vou decepcioná-las de novo. Sou igual a elas, levo uma vida comum, não há nada de diferente e especial.

Ouça meu comentário na Rádio Gaúcha na manhã de terça (1/5) no programa Gaúcha Hoje, apresentado por Antonio Carlos Macedo e Fernando Zanuzzo:

14 comentários:

Sue disse...

Genial, como sempre!

Marta disse...

Voce é otimo, te acho genial, super inteligente.

Janine Lorenzo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janine Lorenzo disse...

Você é o poeta do meu coração Carpinejar. Beijos!

Amora Silvestre disse...

uma pessoa comum que me faz pensar melhor todos os dias...isso é comum?

Amora Silvestre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daiane disse...

Ei bota tri...gostei!

Andhressa disse...

Eu já ouvi agora você publica o texto inteiro? Dá preguiça transcrever tudo... rs

Adriana Gonçalves de Oliveira disse...

"As pessoas nos castigam por nossas virtudes. Só perdoam sinceramente nossos erros"
Nietzsche

"O contrário do amor não é o ódio, mas a indiferença" do Livro "Nietzsche para Estressados"

Hortência Melo disse...

Me lembro bem o dia que tive o primeiro acesso aos seus textos.
Como já disse: És o escritor mais diferente que já vi. Amo seus textos. Sensível,sincero e detalhista.


Espero um dia ter a oportunidade de conhecer,pessoalmente,o escritor que já faz parte da minha lista de favoritos.

;)

Lauri Castro disse...

Carpinejar, já li coisas suas por aí. Li muitas. Tenho até um livro seu aqui em casa esperando meus olhos. Mas hoje entrei aqui pra ler esse texto. Minha namorada com essa coisa de me trazer palavras. Seu texto respingou em mim como livrar demônios. Ou seja, esse tanto de gente que olha e escolhe um de mim que fizeram para eles, é muito pouco para os tantos que sou. Talvez seja mesmo o engano de acreditar mais no que constroem de nós - leva essa gente a criar o que nunca seremos, efetivamente. Em tempo: o que eu mesmo construo dos outros, oras, como me engano.

Estamos pouco preparados para contradições e a provável decepção diante delas.

Alle Nascimento disse...

silêncio cheira prepotência...

Aurea Rabelo disse...

Um ser comum e único com todo o seu jeito especial digno exclusivamente de cada ser humano, onde cada um tem o seu direito de ser comum e diferente ao mesmo tempo.

Maria Carolyne disse...

Boa! Essa coisa de rotular,tirar conclusões precipitadas,preconceitos vagos, indiferença, diferença, etc,etc... Ora todos somos iguais vistos com mais profundidade. Basta procurar em cada um algo que lhe agrada, encanta, ou ofenda, então vem as criticas, muitas vezes: i-n-v-e-j-a assim querendo parecer superiores... O ser humano é muito complexo, tantas faces, tantos lados. Basta conhecer o bom de cada um.