domingo, 28 de outubro de 2012

QUASE PERFEITO — Consultório sentimental de Carpinejar

A GUILHOTINA É O IOIÔ DA TRAGÉDIA

Arte de Jean Arp

“Boa tarde! Há 4 meses me envolvi sexualmente com um homem comprometido, desde então tem sido um relacionamento ioiô, sempre peço um tempo pra ele quando vejo que meus sentimentos estão me dominando. Não me abro com ninguém a respeito disso. Agravantes: é meu chefe, 30 anos mais velho, meu primeiro envolvimento sexual foi com ele, trabalho com sua namorada. Grande abraço. Yasmin”

Querida Yasmin,

Quem dera fosse uma relação ioiô, seria um elogio, é um caso guilhotina, feita para sua cabeça rolar. Juntou todas as adversidades numa só pessoa, todas as proibições num único tirano.

Mistura a cena profissional com a amorosa, cria situações de chantagem (da parte dele, de sua parte), não se abre porque não tem ninguém como expor os personagens da novela, ainda convive com a namorada dele e vê o romance dos dois se desenrolar na sua frente.

Sua trama produz ciúme, inveja, prepotência e humilhação, o lado pantanoso do amor. Não há sentimentos nobres, destinados à escolha e à independência.

Como vai crescer numa relação dessas?

O inferno nem mais a cumprimenta: procurou alguém que pudesse ser seu pai (trinta anos mais velho), seu chefe, seu professor, anulando por completo seu discernimento crítico. É uma filha, uma escrava, uma aluna da tortura.

São tantos complexos que somente comprando um divã parcelado em suaves prestações.

Sofre um excesso de dependência que leva à paralisia. Você pede um tempo para não pressionar de propósito. Estabelece um falso limite, pois prevê o mais drástico dos desfechos.

O que deve ocorrer é perder o emprego, acabar sozinha e reduzir a pó seu grupo de amigos, já que seus colegas suspeitam de suas vantagens e benefícios pela proximidade com o patrão. Ainda que não fale nada do que vem ocorrendo, é o centro da mais famosa fofoca no expediente. Ao ganhar uma promoção, mesmo que mereça, será alvo de piadas e do descrédito. Nunca saberá se a namorada do amante descobriu o triângulo amoroso e puxa conversa por hipocrisia ou amizade.

O carimbo de sua carteira profissional é uma lágrima azul. Sua alegria é ser infeliz. Seu projeto de vida é acumular culpa. Nem percebeu que não deseja o melhor para sua vida, mas o pior.

Optou por ser leal a um ditador, apagar sua personalidade, frustrar planos de ascensão na carreira e no plano emocional.

Quem você deseja superar com tamanha tristeza? Sua mãe?

Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, Caderno Donna, p. 6
Porto Alegre (RS), 28/10/2012 Edição N° 17236
Preservamos a identidade do remetente com nome fictício.

8 comentários:

Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roseli Vaz disse...

É a vida imitando outras vidas!
O amor (daquele tipo que chamam de verdadeiro) não te faz humilhar-se pra sobreviver, ele te da coragem pra tomar decisões, mesmo que parta, única e exclusivamente, de você!
Ah! Amor próprio, é um desses verdadeiro!
Também tem amor ao próximo, só que nesse caso, é o amor ao próximo Novo Amor,rsrsrs e melhor!

Carpinejar, como gosto de te ler, você me parece, ainda, ser do tipo que crê que se pode amar e respeitar, com muita alegria e criatidade.

Sopro.

Ju Hirayama disse...

A verdade nua e crua...
Tem gente que gosta de sofrer né ?
Acorda linda, ainda dá tempo de viver de verdade.
Parabéns pelas palavras Fabrício, um beijo.

Anônimo disse...

Perguntou o que queria, ouviu provavelmente o que não queria... mais é assim, Carpinejar descreveu perfeitamente esse tipo de relação.

Garota, não desista de você! As esperanças de que caia um raio e suma com a namorada e com o seu titulo de amante ainda existem? Então lembre que ao se tornar esposa,corres o risco de ter alguem para ocupar o lugar que ocupas hoje... Afinal,onde passa 1 boi, passa uma boiada...

Angela

ana disse...

quem teme o amor procura relacoes complicadas. É uma forma de evitar uma relacao de verdade.

Nati disse...

Um mega tapa na cara da Yasmin e na de tantas outras que passam por situações iguais ou parecidas. Beijo

ganhar dinheiro disse...

parabens pelo belissimo blog, acompanho o mesmo desde 2010, recomendo a muitas pessoas. Parabens

Anônimo disse...

Sou a Yasmim, depois que li o texto, choerei muito, a verdade dói, terminei o relacionamento depois de um tempo.
Mas acabei voltando.
O difícil é continuo do emprego.
Hoje pedi um tempo de novo.
Mas acho que só vou conseguir sair se eu sair do emprego tb e nunca mais vê-lo.
É muito sofrimento, e o pior é que eu escolhi tudo isso.
Mas eu quero sair, e vou conseguir.