sexta-feira, 2 de novembro de 2012

ESCOLHER UM DOS LADOS

Arte de Paul Delvaux

Quando somos amigos de um casal, temos que escolher um dos lados para apoiar na separação.
 
É triste, mas é o que deve acontecer. É inevitável.
 
Não dá para continuar amigo dos dois. Precisamos assumir nossa amizade mais antiga. Não tem solução. Não tem conserto.
 
Não há como agradar os dois depois de uma briga.
 
Não há como confortar os dois depois de uma briga.
 
Não há como atender dois reis ao mesmo tempo e concordar com as duas versões.
 
Amigo não é juiz. Amigo não é mediador de conflitos. Amigo não é terapeuta. Amigo não é santo.  Amigo que é amigo não senta em cima do muro.
 
Pode até gostar muito dos dois, mas terá que optar. Terá que definir o voto.
 
Senão termina levando e trazendo mensagens, senão vira motoboy de indiretas, senão perde a credibilidade dos conselhos, senão será vítima daquele concurso infantil de quem você gosta mais.
 
Aquele que brincar de voluntário da ONU só vai desagradar as duas partes.
 
É uma época de crise, de rancor, de roupa suja. 
 
Os separados estão magoados, suscetíveis, desesperados. Dependem muito de um colo. De falar e falar mal, de chorar e chorar sem limite. Sobrará para qualquer um que se manter indeciso.
 
É uma das maiores dores do divórcio. Conviver com alguém muito tempo e ser obrigado a renunciar sua companhia de uma hora para outra.
 
Mas amor não é política, não aceita coligações, não faz acordos, não muda de partido.

Ouça meu comentário na manhã de sexta (2/11) na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, apresentado por Antonio Carlos Macedo e Daniel Scola:
 

5 comentários:

Pat disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcio disse...

Muito bonito falar isso tudo depois de massacrar o lado que você não escolheu. Por mais que a pessoa esteja errada, nada justifica esse linchamento emocional que vocês cometeram. Feio demais. "Parabéns" por mais essa semente plantada, o karma de vocês agradece.

Machadóvsk, A. disse...

As pessoas criticam, é fato. Concordo com a tua colocação: não é possível manter a amizade dos dois lados. Temos de escolher a amizade mais longa ou aquela que nos é mais agradável, aquele com quem cultivamos mais afinidade... Ninguém disse que seria fácil abandoar o outro amigo, mas faz-se necessário nesses casos. É triste? Sim, porém evita uma série de outros transtornos.
Adorei o texto, assim como adoro os outros que tu escreve. Um brinco, uma maravilha. Abraço.

Anônimo disse...

Talvez este seja o ponto. O seu ponto. Voce acha que tem que escolher um lado. Aliás, voce acha que há dois lados. E que o SEU lado é o certo. E que há que escolher de que lado ficar. Isso voce pensa no dia de hoje. Mas o que pensava antes? Quando voce estava certo? Antes ou agora? O que voce escolhe? É voce contra voce mesmo!!! Sei não, mas acho voce muito limitado. Em todos os sentidos. Apegado. Egocêntrico. Um bichinho. Da goiaba.
Abraço
Mauro

ganhar dinheiro disse...

parabens pelo belissimo blog, acompanho o mesmo desde 2010, recomendo a muitas pessoas. Parabens