domingo, 21 de julho de 2013

A ROUPA PARA DORMIR QUE NOS ACORDA

Arte de Isabelle Tuchband

A mulher mais sexy não dorme de baby doll.

Não dorme de camisola.

Não dorme de pijama.

Não é a que dorme nua tampouco.

É a que dorme com as roupas emprestadas de seu homem. Aquela que veste sua camiseta.

Você vê sua roupa nela e fica com vontade de botar no dia seguinte, deseja levar o perfume futuro adentro. Você lembrará dela ao escolher o que vestir de manhã, não somente ao se despir de noite.

É uma armadilha para a dependência. Para criar vínculo e intimidade.

A mulher que dorme com sua roupa devolverá a crença do sexo no casamento e o gosto pela rotina, além de ser uma prova incontestável de beleza. Pois, apesar de seu traje, ela permanece linda. Nem as medidas masculinas estragam sua volúpia. Ela transforma a camiseta larga em um vestido curto, sofisticando a simplicidade.

A mulher fatal não é a que encarna figurino de sex shop, que está armada para o crime.

A mulher fatal não é a que realiza espetáculo e pole dance.

A mulher fatal não será previsível com rendas e cinta-liga, não aparecerá rebolando com chicote e algemas.

A mulher fatal é absolutamente caseira. Ela disfarça seu desejo, não entrega sua intenção de imediato.

Jamais imaginará que terá sexo com alguém que colocou sua camiseta.

Mas ela engana para impressionar, é uma pureza que excita, uma ingenuidade que desconcerta.

Com a despretensão de uma peça emprestada, ela não segue roteiro, faz com que a transa seja inesperada.

Você cogitará que ela quer apenas dormir, mas ela acordará seus instintos selvagens.

É um golpe de estado. Uma impressionante virada de mesa. Na verdade, uma virada de cama.

A mulher que toma sua roupa para dormir arma um ataque caseiro, uma invasão camuflada. Finge que não se interessa para assumir o controle da situação.

Uma mulher que pega sua roupa para dormir irá enlouquecê-lo (o que é mais sensual do que o improviso?).

Ela vai dizendo nas entrelinhas: “Enquanto não tenho seu corpo, uso sua roupa”.

Não existe cena mais encantadora do que uma mulher que rouba sua roupa para dormir. É o começo de todos os saques. Roubará sua vida dali por diante.

 
Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, Revista Donna, p. 6
Porto Alegre (RS), 21/07/2013 Edição N° 17498

13 comentários:

thaytopia disse...

Nossa! Que lindo! Acredite, nós mulheres também adoramos dormir com as roupas dos nossos namorados. Beijos!

Sibéria disse...

Amei! Dividir a intimidade é muito sexy. Tenho um texto que fala sobre calcinhas gastas. http://www.entrepalavrasecoisas.blogspot.com.br/2009/10/livrando-se-de-calcinhas-um-pouco.html. Beijo, agradeço pelos seus textos, sempre tão lindos

Letícia disse...

Tenho lido sempre os seus textos... e tem me feito um bem imenso. Um beijo!

Roseli Vaz disse...

Valorar quem está no seu amor presente, é como iluminar um diamante.
Ele é maravilhoso mesmo sem sua luz, mas com ela, ele irradia e mostra a grandeza de sua essência.
Feliz em ver vocês mantendo o equilíbrio entre a felicidade, voluptuosa, e a rotina!

Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roseli Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samara Veras- disse...

texto lindo.

Michele Prieto disse...

Gosto da sua percepção. É admirável!!! =)

Julio Cezar Beal disse...

Concordo plenamente, e vejo que a mulher fica suscetível e vulnerável quando esta com nossa roupa, é um estado de amor simples, mas que desperta o melhor de nós, para nós.

Grande Abóbora disse...

Não há algo mais grandioso que a simplicidade. Todos seus textos são maravilhosos!