segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

COMO SERÁ A SUA MULHER NO FUTURO?

Foto de Gilberto Perin

Uma manha para projetar como será a sua mulher no futuro é reparando na sogra, o temperamento, a implicância e como resistiu ao tempo. Mas, às vezes, a sua namorada puxa o pai e você estará observando o lado errado da família.

Uma tática mais bem-sucedida para firmar a profecia é esperando o primeiro porre de sua companhia. A primeira embriaguez. Quando acontecer, esteja dirigindo e tome unicamente água. Se beber junto, renunciará a confiabilidade da memória.

O aproveitamento é maior do que mapa astral, cartas de tarô, búzios e borra de café árabe.

Uma mulher quando bebe perde as censuras. Fala o que não deve, fala o que sente, assim como é a na velhice. A velhice potencializa a honestidade. Faz sentido. Uma mulher bêbada é uma idosa sóbria. Pois o idoso não espera o melhor momento para derramar a verdade em sua cara, ele cria o momento, impõe a sua opinião. Tanto o velho como a criança são cruéis em sua sinceridade e não tem como controlá-los.

Deste modo, a mulher alcoolizada revela o que será. Não se trata de uma pomba-gira ou de uma nova personalidade se mostrando, é ela mesmo daqui a algumas décadas.

Há vários tipos de embriagadas.

Existe a mulher-encrenca: que abre a pista e grita a cada novo drinque, que arma coreografias impensadas, apresenta uma versão invertida do Lepo Lepo e troca o beijinho no ombro pelo improvável beijinho no umbigo,  seduz estranhos e certamente lhe envolverá em uma briga até o final da noite. Nunca estará satisfeita. Vai sugerir uma saída à francesa e ela criará um barraco à brasileira. Você tentará ajudá-la e ela confidenciará segredos do casal:

- Ele é filhinho da mamãe!

- Ele não aprendeu a amarrar os cadarços!

- Ele ronca!

- Ele é um desastre na cama!

Colocará na roda coisas deste tipo para baixo. Se vir a aparição da mulher-encrenca na alma de sua namorada, cogite seriamente a separação, enquanto é possível se desligar, porque sofrer vicia e talvez nunca se afaste desse terremoto.

Existe também a mulher-sensível. Bebe e chora, bebe e se emociona, bebe e passa a pedir desculpa por tudo aquilo que errou na vida. Como sua voz está incompreensível, perdoa sem entender, como um padre diante dos murmúrios da extrema-unção. A velhice dela não será uma ameaça, mas certamente você nunca terá razão, ela será sempre a vítima de qualquer briga.

Existe ainda a mulher-amiga-de-todo-mundo. Talvez seja a mais estável. Empina os copos e continua aparentemente sóbria. Circula gentil e atenta, apenas aumenta a sua capacidade agregadora na noite. Improvisa piadas, mobiliza os casais entediados, é simpática com os garçons, consegue mesa vip, e não provoca escândalo. Parece que engoliu Ritalina em vez de álcool. Terá uma velhice sábia e generosa, com a experiência amparando as suas escolhas.

Não posso esquecer a imbatível mulher-sarjeta, ela fecha os olhos, balança a cabeça e desaparece para dentro. É um ioiô, é um pião, sacode, pula sem parar, não fala com ninguém e só termina a sessão de exorcismo na privada. Não tem limites. Dificilmente chegará na velhice. Seu exemplo antecipa que será viúvo.

E, por último, a mulher que não bebe, a mais misteriosa e indecifrável. Por via das dúvidas, não deixe de monitorar a sogra.

Nenhum comentário: