terça-feira, 5 de janeiro de 2010

FILHA?

Arte de Lauren Hamilton

O casal é uma gangorra. Um dos dois precisa estar acabado para que o outro possa rejuvenescer.

É a minha vez. Bem que minha namorada tentou tirar o ranço de mais velho. A nostalgia é como uma gripe mal-curada. Qualquer resfriado e retorna o desânimo inicial.

Foi justo quando parei de dizer "no meu tempo", "na minha geração", "não somos da mesma época". Recuperava minha juventude ou disfarçava o peso com a irreverência. Controlava os impulsos saudosistas e as referências aos filmes, seriados e desenhos da década de 70. Mas fracassei. Venho me sentindo mais feio do que na minha infância e mais esquisito do que na minha adolescência, o que não é difícil conhecendo meu biotipo. Não é depressão; depressão pode ser tratada.

Entrei num período em que não me sinto admirado, confiante, independente. Experimento o vácuo de personalidade. Qualquer palavra é áspera, qualquer amor não é suficiente. O mundo inteiro passa ocasionalmente por isso, quem se aproxima dos quarenta passa todo dia. O primeiro choque foi na bilheteria do cinema. Uma espectadora me afofou como se fosse de brinquedo, parecia um garoto de programa. Faltou somente enfiar notas em minhas cuecas.

- Nas entrevistas na tevê, você é mais feio e mais gordo. Assim parece menos horrível.

Era na entrada do filme, desfrutaria de duas horas para apagar os resquícios do ataque. Comi um saco gigante de pipoca mais pela ansiedade do que pela vontade.

O drama eclodiu no primeiro andar do mesmo shopping. Circulava pelo supermercado com o Vicente, curtindo sua euforia de se antecipar à lista da compra e buscar itens nas prateleiras mais distantes. Uma leitora se esgueirou nas frestas dos refrigerantes e me fez cara de “achei!”; os traços sorridentes de coruja acordando a árvore:

- É o escritor?
- Sim, sou.
- Ah, é seu filho?
- Sim, é.
- Eu só lhe vejo com sua filha. Não o conhecia.
- Não deve ser, minha filha mora em Brasília.
- A gente sempre comenta como o amor de vocês é bonito. Vivem se abraçando, coisa que não é natural entre pai e filha.
- Não é minha filha, está errada.
- Claro que sim, tem cabelos negros, um pouco mais baixa do que você, gosta de vestidos.

No instante em que você é reconhecido como pai da namorada, dispense qualquer preocupação estética. Terminaram as pretensões. Pode usar suspensório, beber cerveja de roldão, sair de casa com polainas. Não há como piorar a aparência. Não se preocupe mais com a cintura. Aceite a velhice, a barba branca, a ausência de comunicação com os jovens. Morreu, agora é escolher entre ser enterrado ou cremado.

Tenho uma diferença de oito anos com a Cínthya (29), a senhora cumpriu o prodígio de dobrar a idade. Para ser pai dela, mesmo forçando a barra, necessitava da distância de 16 anos. Ou seja, ela calculou que minha idade girava em torno dos 45/50. Engatinho na crise dos 40, ela me convoca para pular etapas.

Já sofria em silêncio ao ser confundido como o primogênito de casa, sendo que sou o terceiro dos quatro. Aturava quando pediam minha carteira de identidade para comprovar a data do nascimento.

Ela não me questionou, concluiu. Diante de sua convicção, eu me enxerguei em desvantagem com o próprio passado.

É demais. Logo serei preso por pedofilia.

16 comentários:

solfirmino disse...

Quando eu tinha 32 anos e estava passeando com meu filho de 1 ano, uma aluna de 16 anos me viu e perguntou se era meu neto! Tem gente que não tem noção de idade! Se ligarmos pra isso, com certeza envelheceremos mais rápido.

Martita disse...

PELOAMORDEDEUSSSSSSSSS! A CIN NÃO TEM CARA DE FILHA DE NINGUÉM, ELA NASCEU PRATICAMENTE PRONTA, SÓ DEU UMA POLIDA CÁ E LÁ, UMA ESCULPIDA DE NEURÔNIOS AQUI E ALÍ. Eu tenho uma diferença de 7 anos do Fernando, ele tem uns 20 e eu devo estar na faixa dos 30. Grande coisa!
Beijão para vocês dois.

Hneto disse...

"No meu tempo" ou "antigamente" não são maneiras de iniciar nenhuma frase que não possa soar entediante ou desajustada. Nostalgia não tem haver com ser melhor do que. O correto é aceitar o momento e sempre dizer: Meu tempo é agora!

NaraBelmonte disse...

Crises todos temos independetemente da idade. E só nós podemos resolvê-las, antes de qualquer coisa, entendendo-as. E, na maioria das vezes, ninguém pode nos ajudar. Por isso não devemos dar ouvidos a quem quer que queira piorar a situação, mesmo sem intenção de fazer isso. Relevemos essas coisas e sejamos felizes!

Anônimo disse...

Não entenderam a piada.

C. Teodorico

Adélia Carvalho disse...

Mas o melhor é que a gangora sempre reveza a sua posição.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Sempre há uma dessincronia (existe essa palavra? ): meu namorado é 10 anos mais novo que eu e eu pareço ainda mais nova que ele.

Sem pé ou cabeça.

=)

Carol disse...

Eu tenho 19 e sempre digo "no meu tempo..."
As coisas estão mudando rápido demais, e não é difícil sentir nostalgia...
Quanto à crise dos 40, não se preocupe. Pela sua sabedoria, lhe daria uns 110 anos... A aparência (ou data de nascimento) não vale nada quando se tem um dom como o seu. =)

disse...

é, fabríco, é foda quando a gente se vê tão vítima do que os outros acham, julgam, apreciam com suas lentes torpes e embassadas...
acho até que é mais foda a fraqueza da gente, e não o juízo que fazem, é mais humilhante a nossa fragilidade diante dos preconceitos, é mais difícil se dar conta que sim, essas merdas de opiniões mesquinhas me tocam, falam comigo. é foda não conseguir dizer e daí, sim, parece o pai dela, e daí? o que isso significa? que eu tô mal com a minha aparência? que eu teria de estar no lugar pre-estabelecido?
sei bem sobre isso. eu namoro um rapaz 20 anos mais jovem! oh! que horror!
beijo

ARCANO disse...

Sua intensidade me serve de oxigenio.
Muito bom ler voce.

(:

Anônimo disse...

o espírito jovem JAMAIS envelhece

Anônimo disse...

Se você não aumentou o caso, e realmente ouviu essas coisas, então você teve o prazer de se encontrar com pessoas dementes...Por outro lado, pode não ser tão ruim, no sentido de que uma das suas habilidades mais inteligentes é justamente fazer graça sobre essas coisas. Sendo assim, quem sabe vc não recebeu um treinamento extra para reavivar sua fortaleza criativa?
grande beijo.

Anônimo disse...

Tenho 26 anos e sou casada com um homem 31 anos mais velho que eu. Já perdi as contas de quantas vezes perguntaram ou decidiram que ele é meu pai. Já nem ligo. Ele então, nem se comove mais. Quando existe algum sentimento, não interessa aparência, ou diferença de idade. Vc que é sensível deve saber bem disso! Maria Tereza =)

J. Lopez disse...

Engraçado, porque eu tenho Vinte anos e já passei por isso, fui consumida por uma ansiedade tamanha por ainda não ter entrado na faculdade e não ter tido algumas realizações pessoais que eu desejava...Mas dia a dia estou superando isso, Portanto, no meio de tantos comentários que tomam forma de conselho, eu deixo o meu modestamente... Você escreve com uma beleza ácida e visceral, não se importe com comentários assim, a Juventude é passageira, a experiência que fica. =)

Grande Beijo, Fabrício.

Anônimo disse...

É a Cynthia que parece ter uns 20!

Beijo,
Carol - SP.

Juliana Vermelho Martins disse...

Fabrício,
Já passei dos 40 e posso garantir que a vida continua! Diferente, mas ainda com coisas a descobrir.
Quanto aos outros e os comentários que fazem, pense que pode ser falta de jeito, falta de educação, ou simples excesso de inveja... Tudo aquilo que não compreendemos preferimos matar. A sua exuberância é desconcertante, então, melhor destruir. Tente não se deixar abalar. Se não for possível, mande todos à m... e continue sendo como é. :-)