sábado, 4 de setembro de 2010

UMA ODE À MÚSICA BREGA


1) Sandra Rosa Madalena, de Sidney Magal: um Raul Seixas diluído em propaganda de xampu. Quando a pieguice inventa de ser filosofante: 'Queria ser o seu princípio e ser seu fim'. Brega total. Para cantar no engarrafamento de SP.

2) Borbulhas de Amor, de Fagner: campeão do karaokê, talvez pelo beicinho no momento de cantar o refrão do peixe. Para nadar, nadar e morrer na praia.

3) No Hospital, de Amado Batista: legítimo representante do amor dodói, coitadismo em estado puro. Traz a viuvez como prova de que o macho pode ser fiel. Para cantar na fila da Previdência.

4) Pare de Tomar a Pílula, de Odair José: o terror das empregadas é um injustiçado, merecia bem mais crítica. Um grito do varão preguiçoso, que não deseja nem se mexer para colocar camisinha. Para cantar na Vara de Família no momento de acertar a pensão.

5) Garçom, de Reginaldo Rossi: é um hit engraçado, com uma nostalgia ébria dos anos 50. Uma homenagem ao terapeuta mais barato do mundo, que somente cobra 10% para escutar nossas lamúrias. Para cantar ao pedir a conta.

6) Macarena, de Los del Río: é a típica música-enjoada, de brinquedo de criança. Ninguém sabe a letra e vai enrolando. O importante é a coreografia. Foi responsável por mais da metade das broxadas no final dos anos 90. Quase entrou como um extra ocidental do Kama Sutra.

7) Como uma Deusa, de Rosana: é a nossa Celine Dion, é o nosso Titanic. Depois dela, muitas mulheres abandonaram o Olimpo, aceitaram a celulite e desistiram de imitar a Vera Fischer. Para cantar no velório.

8) I Will Survive, de Gloria Gaynor: conhecida como clássica música GLS. Todo homem que se preza deve enfrentar o teste. Se dançar é gay. Se não dançar é gay. Praticamente impossível não rebolar e mexer os braços. Um desabafo escrachado para viver o amor sem nenhuma vergonha.

9) Pelados em Santos, de Mamonas Assassinas: irreverência nunca tem medida certa. Virou hit da torcida do meu time. Não há como ser elegante no estádio. Para cantar levantando o caneco.

10) Purple Rain, do Prince: marcou toda a minha geração. Nas reuniões dançantes, era o golpe derradeiro para beijar o pescoço da menina. Ela ficava tão paralisada com a breguice que não reclamava. Para cantar no asilo.

11) Can’t Stop Loving You, de Van Halen: banda formada no ano em que nasci, coisa boa não é. Canção que nasceu para trilha internacional de novela, dor-de-cotovelo e choro no escuro. Para cantar após descobrir que sua mulher tinha um caso com o porteiro.

12) A Lua me Traiu, de Calypso: essa vale por todas as anteriores e ainda sobra. Para nunca cantar.

Publicado no jornal O Estado de São Paulo
Minha Trilha, Caderno 2
Música, D-6
São Paulo (SP), 04/9/2010

23 comentários:

Suziley disse...

Hehehe...sem comentários..hehehe!!

Pólen Radioativo disse...

Eita, lembrei agora até do Wando... "Você é sim e nunca meu não... Meu iá, iá, meu iô, iô..." kkkk

Adorei!!!

Beijos

Simone disse...

Adorei... muito show! kkkkkkkkk
Niguém merece essa breguice total!

@Rafaquati disse...

Van Halen não é brega

Thaís Machado disse...

Zé Augusto! Faltou Zé Augusto!

Cynthia Osório disse...

a lua me traiu, acreditei que era pra valer , a lua me traiu fiquei sozinha louca por vc
aaaaaaaaaaa(nessa hora tem uma parte da coreografia impagável)rsrsrsrsrsr
muito divertido!

Aline Patrícia disse...

Nossa, o bom (?) é que conheço todas as músicas!
Poderia comentar uma a uma, desde as lembranças de família até o show do Calypso para o qual fui arrastada anos atrás, só não o faço porque aí já seria assinar atestado de breguice(mais uma vez)!

Tuka Siqueira disse...

Como disse Aline, o bom(?????) é que conheço todas as músicas. Dizer isso é atestado de breguice e de velhice. Credo...

Zélia Guardiano disse...

É tudo brega até que o Caetano Veloso grave: aí vira cult...rsrs...

Rodrigo Passos disse...

a ironia é o + doce dos venenos, e você é a + bela de todas as cobras!!!

Cacá disse...

Claro que a lista está ótima, mas tem um que eu não consegui esquecer desde criança. Evaldo Braga, com "Sorria". Abraços. Paz e bem.

EDER RIBEIRO disse...

Cara, tou pasmo, nunca imaginei que era brega. Dei boas risadas e viajei no tempo. Abçs.

Mikaela: disse...

ahaha... Só faltou aquela: Voar voar... Subir subir...
http://letras.terra.com.br/biafra/44571/

E também: Ai ai ai, ui blau blau...
http://letras.terra.com.br/absyntho/64002/

Beijo intenso,
Mikaela.

Sem enfeite nenhum disse...

Tem aquela do Agepe: "Quero te pegar no colo, te deitar no solo e te fazer mulher..." Ri a beça! Beijo!

ShAyLyNhA disse...

Ai ai ai...
Conheço todas e mais algumas, são o tipo de música que colam e nunca mais saem da cabeça... =/ Como o rebolation, daqui mais um tempo ela entra nessa lista! rsrsrs

Isabela Moraes disse...

minha música brega preferida da lista é a do Van Halen.
adorei a lista, afinal, quem nunca se deliciou com uma breguinha, hein?!

Isabela Moraes disse...

e acrescentando "Moça" do Wando, um clássico da música brega.

ladygomez disse...

Meu namorado adora cantar esse tipo de música só para me irritar. Lembrei dele na hora que li, mostrei-lhe texto, espero que agora ele aprenda a soltar seu repertório de gosto duvidoso nos momentos certos...

Ariana disse...

Faltou Pedra Letícia, Em Plena Lua de Mel!

Fernanda disse...

Adorei...quem nunca cantarolou uma breguinha que atire a primeira pedra...kkk...

bjs...

Franklyn disse...

é chique ser brega em memória.
tudo isso vira clássico.
rrss.
adorei

Lory Moreira disse...

Adoreeeeeeeeei. Faltou Siga seu rumo da Pimpinella. Rs!!

Agostinho Carrara disse...

Discordo da música do Van Hallen, o resto...rs