segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O BEIJO NA BOCA



Casais que não se beijam na boca estão se separando. Vão se tornando amigos, parentes, irmãos, até se esquecerem de caminhar de mãos dadas. Vão se apartando do cheiro da pele, do gosto do abraço, das provocações infantis de corredor, das pernas alisadas no fundo da coberta.

O beijo na boca é a autêntica aliança, o ouro que vinga, a certidão que não desbota. Só que me refiro ao beijo mesmo, de girar o corpo, o pescoço, o rosto. Selinho não conta, onde os lábios são uma carta para quem já está distante. Beijo seco também não vale, onde não há a ameaça de morder os lábios.

O beijo molhado é que une. Um beijo úmido por dia renova o amor. O beijo de quem tem saudade dos tempos apaixonados, um beijo que ainda sopre de volta os elogios ditos um para o outro. O beijo sussurrado, em que os sons tremem com as respirações próximas.

O beijo que não tenha a necessidade de ser pensado demais senão surge sem jeito, forçado, cinematográfico. O beijo que seja um segredo a dois, que você extravie o horário e suspenda a noção do lugar. O beijo que toque uma canção dentro, que desperte a vontade de dançar.

O beijo de língua não permite o vazio crescer, a lacuna, o lapso. Pois uma ausência dentro de casa ainda tem conserto, duas ausências não têm como recuperar – o par esqueceu o amor em algum lugar das lembranças e não correu para reaver.

O beijo de língua desfaz as formalidades, os medos e a educação que esfriam a relação. Beijo de língua é beijo para combater o tédio, a mecânica repetida dos gestos. Beijo de língua salva os desaforos, perdoa as críticas e as cobranças. É como uma janela batendo com a chegada da chuva, uma porta batendo com o vento. É um susto que põe o coração a bater de novo.

Nem o sexo resolve o que o beijo faz. A transa sem beijo é apenas desafogo, catarse, apego de bichos. O beijo com língua é o que nos singulariza entre os animais. Casais felizes sempre se buscam pela boca. É uma receita simples de longevidade. Sem o beijo, a pessoa tem a vontade de largar tudo e ficar sozinha. Com o beijo, ela não perde a vontade de largar tudo, mas com a diferença de querer levar junto aquele que ama.

13 comentários:

Blog do MotaMota disse...

Perdoe me pela minhas atitudes, elas estavam severamente equivocadas.

Anônimo disse...

Parabéns pelo belo texto....Enviei uma msg para o teu email sobre o quadro q te enviei....
Abç.

Elis Melo disse...

Não há nada pior que o não-beijo na boca numa relação. Pode ter certeza de que é começo do fim.

Lya Gram disse...

Eu gosto de beijo despretensioso.

Unknown disse...

Parabéns pelo texto!! Concordo!!

Mara Elis disse...

Fiquei aqui pensando na potência dos beijos imaginados. Desejados mas impossíveis.
Há dois contos de Machado de Assis em que a insinuação do beijo é tão intensa que o beijo acontece mesmo sem ter acontecido de fato: A missa do galo e Uns braços.
Queria te ouvir sobre isso: de que são feitos os beijos imaginados?

Fábio Nascimento disse...

Adorei, tem que beijar muitoooooo....

Maria José santos disse...

Achei o texto lindo,simplesmente apaixonante.Te vi no Programa Sem Censura,e achei linda a sua historia de amor e cumplicidade com sua mãe. Parabéns por seu trabalho literário!!!

Débora Degenhnaurt disse...

Muito lindo e muito verdadeiro! Tudo que o beijo pode fazer!

Anônimo disse...

Gostaria de perguntas as mulheres que acessam o site . Estou terminado a quase um mês , outro dia mandei uma mensagem dizendo estar com saudade e queria dar um abraço nela. Ela disse que eu poderia passar lá , só que acabamos nos beijando, muito, beijos com vontade. Por que ela me beijou sendo que estamos separados ? Será que existe uma chance de voltarmos ? Eu acho que quem não quer mais , não beijaria e muito menos deixaria eu passar lá pra dar um abraço .

Anônimo disse...

Gostaria de perguntas as mulheres que acessam o site . Estou terminado a quase um mês , outro dia mandei uma mensagem dizendo estar com saudade e queria dar um abraço nela. Ela disse que eu poderia passar lá , só que acabamos nos beijando, muito, beijos com vontade. Por que ela me beijou sendo que estamos separados ? Será que existe uma chance de voltarmos ? Eu acho que quem não quer mais , não beijaria e muito menos deixaria eu passar lá pra dar um abraço .

Vanise Navas disse...

Amei e beijei muito meu maridão.

Vanise Navas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.