terça-feira, 13 de março de 2012

COMO FUGIR DOS CHATOS

Arte de Die Brücke

* O chato fala o que sente. De qualquer jeito. Nem escolhe o que fala. É preguiçoso. Não nos escuta e continua falando. Não se importa se estamos ouvindo ou não, quer falar. Qualquer coisa. Nada interrompe sua carência.

* O chato sempre diz que esqueceu de comentar alguma coisa. E nos prende até lembrar. E não era nada.

* O chato não conversa, dá palestra.

* O chato é um megalomaníaco sem importância.

* O chato é um vendedor sem produto.

* Além de não calar a boca, ele não nos permite ir embora, segura nosso ombro ou aperta o nosso braço.

* O chato sabe tudo, menos que é um chato.

* O chato força a tosse, o bocejo, o grito. Altamente inconveniente, é normal passar do ponto.

* O chato descreve suas dores, mas não toma nenhuma providência.

* O chato estraga o sagrado momento do café do trabalho, para pedir dinheiro ou favor.

* O chato atrapalha querendo ajudar. O chato não oferece conselhos, mas impõe condições.

* O chato conta a mesma piada de novo, ri sozinho e ainda faz comentários de como aquilo é engraçado.

* O chato não sabe o que fazer do seu tempo, e usa o nosso.

* O chato é um bajulador do bem e do mal. Incapaz de fazer um elogio sincero ou até uma reclamação honesta.

* O chato é sua mãe no pior dia mais a sogra no seu pior dia mais as tias solteironas mais a professora de Religião.

* O chato está a um passo de ser nojento. Não provoca pena, mas raiva.

Ouça meu comentário na manhã de terça (13/3) na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, apresentado por Antonio Carlos Macedo e Jocimar Farina:

15 comentários:

Acáci@ Estrada (Árvore de Outono ) disse...

Será que sou chata? Hahaah não estou certa da resposta, mas vou te bajular... Amei o texto!!!!

Felicidades!

Por que você faz poema? disse...

Não simpatizo com quem diz saber tudo, me incomoda essa pose - saber tudo, para mim, é nada saber -, lembra informação de almanaque: rasa e desnecessária. Simpatizo com quem tá por fora, quem não finge que conhece nem faz questão de conhecer, quem é ignorante em algum assunto, em vários assuntos.

Lorraine disse...

Penso que a maior virtude que qualquer ser humano possa ter é a humildade, rara nos chatos. Amo assumir para mim que não sei de nada e ir atrás de informações para produzir conhecimento. O chato não produz, reproduz.

beijos

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk..definição perfeita para um chato.Bjooo.

A Ex de Murphy disse...

Todos estamos cercados por algum tipo (ou vários) de chato... E não há como se livrar deles!
E lendo o teu texto é inevitável pensar se também nunca me enquadrei num perfil de gente chata, afinal de contas, quem está sendo chato é sempre o último a se dar conta disso...
Post fantástico! =)

Anônimo disse...

Agora que sei reconhecer um chato eu gostaria de saber como fugir dele. Título 171. Bom só pelo meu comentário eu realmente me enquadro como chato.

Analu Bittencourt disse...

Conheço um chato com TODAS as qualidades descritas, mas ainda não sei como fugir dele...:(

PS: Adorei o texto!

ana disse...

O artigo é ótimo. Mas como fugir deles ? Você não disse...

A viajante disse...

Fugir de um chato? Melhor afastar-se. Eu me calo diante de um. É a forma que encontro pra resistir à tentação de gritá-lo infinitas mil vezes de CHATOOOOOOOOO!

ana disse...

a melhor forma de fugir de um chato é ser chato.

Vanessa Lampert disse...

Sinto-me no dever de informá-lo (com todas as ênclises necessárias) que consegui - finalmente - deixar de ser chata. Quem sabe um dia nos encontremos novamente para que você constate este fato com seus próprios ouvidos. Por ser ex-chata, tenho sido bastante tolerante com os chatos que eventualmente atravessam meu caminho. Também para eles há esperança.

Beijos meus e do Dave!

Anônimo disse...

Carpinejar, quando assisti sua entrevista no Jô achei você muito forçado e chato, depois te vi no Ronnie Von, e pareceu mais artificial e chato ainda. Então, meus parabéns por ter escolhido um tema que conhece tão bem, você é (ou está) a chatice personificada, rapaz.

Uma pena porque sua poesia já foi muito boa, mas você preferiu ser "pop" para aplacar as mágoas da infância bullynada, e isso está sendo realmente um perdício. O poeta de primeira se perdendo no showman de quinta.

Espero que melhore.

Camila Garcia

Anônimo disse...

Definidos os parâmetros do problema, falta ainda a solução.

Será que algum dia vão inventar um spray CHATICIDA?!?

Anônimo disse...

Propaganda enganosa! O texto diz como identificar os chatos, mas não como fugir deles!

Salette disse...

Chato e psicopata, sempre tem um ao seu lado, cuidado!
Bacana o texto, exceto pelo machismo no final (mãe, sogra, professora - todas mulheres)