domingo, 5 de agosto de 2012

NUNCA NAMOREI

Arte de Cínthya Verri

“Olá, Boa tarde! Sou estudante e tenho 29 anos. Nunca tive namorado, vivo apaixonada por um ou outro, mas sempre platonicamante, nada de concreto. Até rola uns amassos, beijos na balada, mas nada além disso, sei que sou um pouco exigente em relação a homens, não saio com qualquer um. Mas me considero uma pessoa "liberal", não gosto de hipocrisia. Será que o problema é comigo? Beijo Stephane”

Querida Stephane,

Não noto nenhum problema, vejo que você absolutamente não deseja namorar. Não é exigente, mas excludente. Exigente é o que avalia as possibilidades e tenta, mas você descarta as hipóteses antes de experimentar.

A paixão platônica é um modo de manter o desejo ocupado e não ser importunada pelos apelos da realidade. Como deseja um sujeito em sua imaginação, não pode se interessar por um homem próximo. É uma fidelidade de faz-de-conta, que elimina o trabalho de conhecer alguém de verdade. 

Namoro é ensaio, é pisar no pé para roçar as pernas, chutar o ar para criar nova dança, é cometer gafes e rir e se atrapalhar. Todo apaixonado é gago, confuso, estranho, de péssimo desempenho social. O amor vai perdoando o nervosismo pela vontade de aprender diferente.

Para que aconteça o namoro, deve errar. O primeiro passo para namorar é fracassar, desativar os alarmes de proteção, esquecer o que sabia sobre o amor. Por isso as bebedeiras são os melhores cupidos.

Namorar é oferecer a chance para aquele que não atende às nossas expectativas. É romper a idealização e ampliar nossa curiosidade sobre o mundo.

Enquanto esperar o par de fábrica, Cinderela, ficará descalça.

Mas entendo que sua rejeição é preventiva. Tem medo da avaliação alheia. Não se gosta, não se acha ideal e acredita que qualquer um sentirá a mesma aversão. 

Aceita ficar na balada desde que não desenvolva amizade no dia seguinte. Elimina o contato para não ser recusada depois. Você, certamente, não deseja namorar consigo.

A pergunta é outra: o que considera em si abominável a ponto de fugir da convivência amorosa?

Abraço com todo afeto,
Fabrício Carpinejar

Querida Stephane,

Na hora da sentença, como era seu mórbido costume, o General Persa ordenou que o espião fosse trazido para conversa reservada:

— O que quer: a porta preta ou o esquadrão de fogo?

O prisioneiro hesitou, mas logo disse que preferiria o esquadrão de fogo.

Tiros indicaram que a sentença fora cumprida.  O ajudante questionou:

— O que existe atrás da porta preta?
— A liberdade — respondeu o general —e poucos foram os homens que a escolheram.

Que bonito, Stephane, que se abra para falar conosco. Isso, por si só, mostra sua curiosidade em paquerar com novas possibilidades.

Mas querida, cada um tem seu conceito do que é ser liberal. Quase três décadas de sua vida se passaram e ainda não teve nenhuma relação física importante com alguém. Claro que selecionar pode fazer diferença, mas talvez esteja passando do ponto. Desconfiar é tão legítimo quanto confiar em si.

Com essa peneira tão fina, acaba fechando a luminosidade. Você está se privando de experiências enriquecedoras. Não que seja essencial, veja por você mesma, a vida continua. Mas é certo que a intimidade nos ensina muito.

Será que esse não é um jeito de se tornar especial — enquanto todos se estrebucham em atritos e confusões emocionais, você paira sobre a nuvem, intacta, voando no tapete mágico do amor platônico?

É possível que essas paixões nunca tenham avançado, não por sua desconfiança sobre os parceiros, mas pela incerteza sobre a sua própria capacidade de amar.

É uma abertura diferente daquelas que você já experimentou, inclusive sexualmente. Talvez essa entrega ainda dependa de querer a liberdade a dois. Amar é a coragem de desconhecer.

Beijos meus,
Cínthya Verri

Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, Caderno Donna, p. 6
Porto Alegre (RS), 05/08/2012 Edição N° 17152

Preservamos a identidade do remetente com nome fictício.
Nossos palpites amorosos não substituem consulta, terapia, exorcismo e qualquer tratamento técnico.
ESCREVA PARA colunaquaseperfeito@gmail.com

13 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marília... disse...

Me vi nas palavras da Stephane...
E me enxerguei nos conselhos dos dois...rs
Acredito que estamos entre a cruz e a espada: Nos arriscamos e corremos o risco de sofrer ou continuamos com relacionamentos superficiais (ou somente sexuais) e sofremos por não ter ninguém...
O medo às vezes grande do risco... Quem dera saber que o próximo será o "ultimo"...
Adoro vcs dois...

Isabela disse...

Me identifiquei muito com a Stephane. Estou para completar 31 anos e fui ter meu primeiro namorado aos 29. Antes disso era a mesma coisa, tipo alguns "amassos" por uma noite em uma balada. Todo mundo dizia que eu era muito exigente. Não que eu fosse, não fazia questão de ficar com um homem lindo e maravilhoso, só era um pouco fechada e "medrosa". Tanto que meu primeiro namorado não era considerado bonito, e nem gostava dele quando o conheci, mas foi só eu por na minha cabeça "vamos ver no que dá" que as coisas mudaram.

Não estou mais com ele, mas meus relacionamentos posteriores, mesmo que mais passageiros, melhoraram muito. Ainda prefiro ter um namorado, e tenho me relacionado só com homens que não querem nada sério, mas devo confessar que todas essas pessoas foram fantásticas. Me considero uma mulher de sorte pelas expeiências posteriores.

E concordo muito com as respostas de Fabricio e Cinthya... às vezes o medo do que possa vir pela frente nos impede de ter novas experiências. Claro que cada caso é um caso, mas foi só eu abrir uma minúscula fresta do meu mundo que um outro mundo entrou dentro dele. E posso dizer que, apesar de eu ter me frustrado algumas vezes, o balanço foi disparadamente positivo!

Anônimo disse...

Sou Homem, e estou interessado em uma mulher que está na mesma "retranca" que a Stephane (por se tratar de um nome fictício, talvez sejam a mesma pessoa, vai saber...).Ela vive idealizando o homem perfeito: lindo, alto, rico, culto, etc. É lógico que esse cara nunca vai aparecer na vida dela, e, enquanto isso, ela não dá chances a caras reais, divertidos e simpáticos (sou um deles!), que aparecem na vidinha solitária dela.

Com a resposta do Carpinejar, vi que o problema é com ela, que ela não está aberta a relacionamentos reais, mas quero saber se é possível eu fazer algo a respeito.

Abraço a todos.

ana disse...

Stephane, nāo acho que você tenha algum problema. Pelo contrário, sinto que você valoriza tanto o amor que prefere vivê-lo platonicamente a minimizá-lo a ponto de se relacionar com alguém que nāo admira só para nāo ficar sozinha. Acredita no que dizia Rilke, que o amor é difícil, e nāo quer perder seu tempo com relacionamentos banais.
Parabéns e nāo fique se culpando por nunca ter namorado se ainda nāo encontrou alguém que justifique a sua solidāo.
Talvez nāo seja exigência, mas inteligência. Diversifique os
ambientes que frequenta. Você quer um grande amor, e um grande amor nem sempre se encontra em baladas.

Anônimo disse...

Por que nossa geração acredita tanto que precisamos de outra pessoa para sobreviver? Se a pessoa se sente bem sozinha, porque as outras pessoas fazem questão de apontar que ela parece ser uma pessoa solitária e que precisa de alguém? Viemos ao mundo sós e morreremos sós. Claro que cada um pode escolher o que quer pra si e acho que é besteira apontar que ela precisa ter alguém.

Camila disse...

Amar é tão bom. É um verbo que congrega todos os tempos, todos os plurais e singulares. Pode ser transitivo, intrasitivo, mas é bom que serja direto. Não sei porque tem tanta gente com medo.


Beijos suaves

Val Santiago disse...

Se a Stephane realmente gostasse de estar sozinha ela não teria pedido um conselho, não é mesmo?! O problema é que pessoas assim se privam e vivem na busca do homem ideal, sendo que ela mesma pode fazer a diferença. " Ao lado de um grande homem existe uma grande mulher". Quer um homem rico para que? Para gastar muito dinheiro com viagens, jóias, e roupas de grife?! Seja você mesma uma mulher de fibra, convicta em suas decisões, disposta a mudar a sua sorte e de quem estiver ao seu lado. Não existe homem perfeito. Homens rico e cultos, também possuem defeitos e traem suas parceiras.Pensem nisso!

Anônimo disse...

"O maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma.
Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho.
É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma." Clarice Lispector

Tania Aparecida disse...

OLHA SO, TA DIZENDO QUE NUNCA TEVE UM NAMOARADO, MAS SO O FATO DE IR EM FESTA E FICAR COM ESSAS INTIMIDADES TODA JA E NAMORAR, MINHA FILHA EU SIM SOU UMA CASO RARO EU TENHO 26 ANOS DE IDADE COM 24P/ 25 FUI TENTAR DESCOBRIR AO MENOS O QUE ERA BEIJAR NA BOCA, MAS ATE HOJE PARA FALAR A VERDADE NAO SEI O QUE EU ENCONTREI FOI GENTE FALSA Q FINGIA QUE TAVA BEIJANDO E EU POR OUTRO LADO FINGINDO QUE TAVA SENTINDO ALGUMA COISA, O MEU CASO E TÃO SERIO QUE FORA O FATO DE EU JA ESTAR EM IDADE UM TANTO AVANÇADA PORQUE NA VERDADE SO QUANDO EU ESTAVA QUASE COM 25 E QUE EU FUI VER O QUE ERA BEIJAR E COM 26 JA HAVIA DESISTIDO SEM AO MENOS SABER ATE HOJE, E QUE EU DESCOBRI QUE NAO ADIANTAVA FORÇAR EU TINHA UM PROBLEMA E EU TINHA QUE CONFESSAR É HORRIVEL VOCE FINGIR Q TA BEIJANDO UMA PESSOA SENDO QUE VOCE NAO TA SENTINDO NADA E O QUE E PIOR PODE SER ATE QUE A PESSOA SINTA E VOCE NADA, ENFIM SEM COMENTARIOS DEPOIS QUE EU DESCOBRI QUE ERA UMA GEKLADEIRA DESISTI, MAS ATE HOJE FICO PENSANDO PORQUE SERA QUE AS PESSOAS FALAM TANTO EM NAMORADO SENDO QUE EU FUI TENTAR TER UM E NÃO SENTI NADA ??? AI VEM A PERGUNTA SERA QUE PARA ALGUMAS PESSOAS ISSO DE NAMORAR, FICAR OU SEI LA ISSO EXISTE SERA QUE ISSO NÃO E O DOM DE CADA UM NÃO ??? SERA QUE PESSOAS ASSIM COMO EU NASCERAM ASSIM NÃO FOI PQ ERAM PARA SER FREIRAS???,

Tania Aparecida disse...

TEM GENTE QUE FALA QUE NUNCA NAMOROU MAS VIVE EM FESTA ´´ PEGANDO UM AQUI OUTRO ALI, DANDO BEIJINHO E ECT, MAS FILHAS SINTO MUITO MAS ISSO E NAMORAR E OUTRA SE VOCE SENTIU ALGUMA COISA JA TA VALENDO O QUE NAO TA VALENDO NADA SAO PESSOAS COMO EU QUE NUUNCA SENTIRAM NADA PODE VIR O CAPETA QUE FOR NEGAR,MAS EU SIM PODE SE DIZER UM CASO RARO, SO NAO TENHO PROVAS AFINAL DE CONTAS COMO POSSO PROVAR Q SOU UMA GELADEIRA NAO TEM JEITO A UNICA PESSOA QUE SABE SOU EU

Anônimo disse...

Olá, sofro desse mesmo mal, tenho 31 anos, nunca namorei, beijei e fiz sexo uma única vez quando tinha 26 com um rapaz que conheci pela net, meu desejo era ter namorado ele, mas ele não quis. Meu maior sonho é formar uma família, marido e dois filhos. No entanto, vivo sozinha, trabalho praticamente só o dia todo, meus clientes vem no meu escritório raramente, moro apenas com minha cachorrinha. Agora, descobri que tenho dois miomas enormes no útero, os médicos me disseram que só dá pra saber se o útero poderá ser salvo na hora da cirurgia. Estou angustiada pois estou para perder a capacidade de ser mãe, algo que sempre quis. E mais ainda porque essa solidão na qual vivo imersa é desesperadora, e não é porque eu não tento ou sou seletiva demais, eu frequento uma igreja, canto no coral, mas só esse ano levei 3 foras. Estou perdendo a esperança de ter meu sonho realizado. Não, não, acho que já perdi...

Anônimo disse...

Tenho 26 e nunca namorei, e nem quero, não confio em nenhum homem, tanto na escola quanto na faculdade viviam me chamando de feia, nunca vou confiar que um homem gosta de mim, prefiro ficar sozinha do que insegura.