segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FALO EU TE AMO FÁCIL, FÁCIL

Arte de Marc Chagall

Nada acontece por acaso.

Em tudo há um porquê.

Era para a gente se encontrar.

Apague essas frases, largue o curso preparatório de noivos.

Amor não é uma fatalidade, é algo que inventamos, é a responsabilidade de definir, de assinar, de honrar a letra.

Colocamos a culpa no destino para não assumirmos o controle, tampouco sustentarmos nossas experiências e explicarmos nossas falhas.

Amar é oferecer nossas decisões para o outro decidir junto, é alcançar o nosso passado para o outro lembrar junto, mas jamais significa se anular.

É vulnerabilidade consciente. É fraqueza avisada.

É entregar nossa solidão ciente de que é irreversível, podendo nos ferir feio, podendo nos machucar fundo.

Não existe nada mais horrível e mais lindo.

Ninguém nos mandou estar ali, ninguém nos obrigou a nos aproximar daquela pessoa, ninguém nos determinou a começar uma relação.

Não teve um chefão, um mafioso, um tirano, um ditador nos ordenando namorar.

Foi você que optou. Assuma até o fim que é sua obra, inclusive o fim. Assuma que sua companhia é resultado direto do seu gosto, sendo canalha ou santa. Não adianta se iludir e tirar o pé. Não vale fingir e mentir freios.

Amor não é hipnose, passe, incorporação. É você querendo o melhor ou pior para sua vida. É você roteirizando e dirigindo as cenas.

Aquele que tem receio de se declarar não se deu conta de que é o próprio diretor do filme, e que a tela vai mostrar o sucesso e o fracasso de sua imaginação.

Por isso, não tenho medo de dizer “eu te amo” desde o início. O amor aumenta para quem diz “eu te amo”.

Se vou errar, eu é que errei. Se vou acertar, sou eu que acertei. Se vou me danar, o inferno será meu.

Falo “eu te amo” já no segundo encontro. Já para assustar. Já para avisar quem manda. Já para estabelecer as regras do jogo.

Falo no calor da hora ou no moletom do entardecer. Amor não surge do além, amor se cria da insistência.

A precipitação é uma farsa. Não há como me adiantar e me atrasar em sentimento que eu mesmo realizo. É bobagem negacear prazos, esperar amadurecer limites.

Exponho minha paixão fácil, fácil. Nem precisa perguntar.

Aprendo a amar amando, para entender que a maior declaração ainda não é o “eu te amo”. É quando alguém confessa: “Não consigo mais viver sem você”.

Mas isso não é amor, é coragem.
 




Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 31/12/2012 e 1/01/2013
Porto Alegre (RS), Edição N° 17299

15 comentários:

Mel. disse...

A vida fica mais bonita e mágica quando há dois ingredientes: AMOR E CORAGEM.

Parabéns pela poesia, por sua coragem e por viver sua vids com tanto amor!

marly machado disse...


"FALO EU TE AMO FÁCIL, FÁCIL"

Lindo Fabrício, sensibilidade mil.
Parabéns, muito lindo vivenciar o AMOR!

Eduardo Martins disse...

Baita coluna veio, falou tudo grande cronica.

Carpe Diem disse...

“Não consigo mais viver sem você”.

Versão Na Linguagem de Hoje para:

"E serão os dois uma só carne."

ana disse...

Falar eu te amo para mim sempre foi uma coisa muito séria. Espero aprender com essa crônica a nao esperar tanto.
FELIZ 2013 Fabricio. Obrigada por 2012.

bjs

Kika Domingues disse...

Feliz ano novo! Desejo que a sua coragem de amar e de falar de amor nunca tenha fim! Bjsss

Franco de Paula disse...

Perfeito! Normalmente é o que acontece com todas as pessoas quando começam a namorar. As pessoas, nessa mania de proibição, acabam nem se dando conta que o que mais destrói relacionamentos são as pequenas, e não as grandes brigas.Quando você exclui uma amiga dos sites de relacionamento, ou ex ficantes, ou qualquer pessoa que causa ciúmes em uma das partes, você acaba vivendo mais essa pessoa na memória do que antes. Se essa pessoa se torna problema para o namoro, só o fato de você ter de excluí-la para evitar briga já faz com que você a viva mais que antes. É um remédio que os efeitos colaterais superam os benefícios.

Beijos!

Kamila de Souza disse...

Sublime :)

Marcos Aurélio disse...

Acho que terei que repensar sobre a minha visão "machista" de achar que dizer que ama deveria partir primeiro da mulher !!! Achava que iria expor minha fraqueza ...
Decidi que hoje mesmo direi a mulher que amo .... Eu te Amo Gabi !!!!!
Abraços !!! Feliz 2013 !!!

Louise disse...

texto incrível para a construção de um novo ano. :)

Cristiane Oshima disse...

Amor não é uma fatalidade.
Nossa, essa frase muda tudo.
Sempre nos fizeram acreditar que amor acontecia e puff!!! Impossível controlar.
Não, você tem razão. Amor é uma escolha pra lá de consciente. Escolhemos quem nos convém.
Obrigada mais uma vez! :)

Mônica Maria Aquino Ribeiro disse...

Muito boa crônica! Eu falo fácil fácil... eu te amo Fabiano.

Anônimo disse...

Belas e verdadeiras suas últimas palavras!
Quero na minha vida CORAGEM, a maior das virtudes humanas já dizia Aristóteles!
Sem ela, não se ama, não se amadurece, não há entrega, não há completude.
O Amor indiscutivelmente pressupõe a coragem, o “cavalo” que carrega essa “carroça” de sentimentos inquietantes e desordenados.
Amor é decisão, é um “salto mortal” (amar para que? Por um tempo não vale a pena e para a vida toda é impossível!!!!), que somente os corajosos experimentam mesmo sem concretizarem na maioria das vezes o encontro amoroso.
Quero coragem, para dizer que gosto, para dizer que não dá mais, para sair quando a situação impõe, para deixar meu parceiro(a) ir embora quando se apaixonar por outra pessoa, para dizer que me apaixonei por outrem, etc.
Quero coragem para dizer que amo gente, independente do sexo, quero coragem para dizer que minha sexualidade é normal.
Não, não quero amor sem coragem.

Em construção disse...

Te amo Fabro!

Andressa disse...

Excelente escolha de ilustração!