segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

FAZER GOSTOSO

A feiúra é uma noção secundária para quem faz gostoso.

O sexo prende. O sexo cativa. O sexo caprichado é a moldura para a janela da alma.

É deixar de enxergar no plano unidimensional dos preconceitos e pôr os óculos 3D da fissura.

Tarados não se prendem às fachadas.

Porque fazer gostoso é confiança, é desenvoltura, é merecimento.

Queima a vaidade das selfies, dispensa a futilidade de manter alguém para exibir aos amigos, descarta a insegurança de namorar para impressionar nas redes sociais.

Fazer gostoso é ser inteiro na cama, devoto ao momento e ao monumento, sincero com o gozo, alucinado de tesão, independente do que os demais pensam.

É quando o prazer manda no amor e liberta a sensualidade das aparências.

Fazer gostoso é encontrar o ritmo do outro, o encaixe perfeito, definir o que realmente excita, descobrir as fantasias prediletas e executar as poses favoritas. As palavras sussurradas são as certas, os desaforos são os exatos, a entrega é a ideal.

Nariz grande desaparece com a ginga. Barriguinha some com o rebolado. Estrias não existem com a volúpia.

Se você não entende como que o amigo namora uma mulher nada bonita, até acima do peso, sem nenhum atributo suntuoso, saiba que ela transa bem, muito bem, fora do normal. Nunca terá condições de competir com a sua sabedoria secreta.

Publicado em O Globo em 30/11/2017

2 comentários:

Natália Corcetti disse...

Boa noite,

Pois é, nem sempre a beleza é tudo.

E quem não tem cão cação com gato.

Miguel Lopes disse...

Soneto da Mulher Ideal
Vinicius de Moraes
Pra fazer poesia
Tem que ter inspiração
Se forçar ..
Nunca vai ficar boa

Se não..
É como amar uma mulher só linda
E daí !??

Uma mulher tem que ter alguma coisa alem da beleza
Qualquer coisa feliz
Qualquer coisa que ri
Qualquer coisa que sente saudade

Um pedaço de amor derramado
Uma beleza ...
Que vem da tristeza
Que faz um homem que como eu sonhar

Tem que saber amar
saber sofrer pelo seu amor
E ser só perdão