sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

REEDUCAÇÃO EMOCIONAL











Nem sempre estamos dispostos a conversar e compramos brigas à vista.

Casamento e namoro são frágeis. Não se deve pensar duas vezes, mas sentir duas vezes.

As palavras ferem. Conviver é cuidado para encaixar o termo certo.

Muitas iras e divórcios tolos podem ser evitados com a reeducação emocional.

Numa retrospectiva, veremos que ninguém briga por grandes causas; os desentendimentos ocorrem por banalidades, como se indispor a levar o lixo ou o cachorro a passear, por não lavar a louça, por esquecer um pedido. Não é a ação que conduz a discussão, e sim a postura, uma frase torta, ríspida, agressiva que feriu o orgulho. Fácil entrar numa arena de palavrões, complicado largar a cena.

Em vez de dizer que ela fala mal da vida, diga que ela é exigente. Em vez de dizer que ela é tola, diga que é ingênua. Em vez de dizer que ela irrita, diga que ela gosta de uma polêmica. Em vez de dizer que ela é relapsa, diga que ela é distraída. Em vez de dizer que ela é histérica, diga que ela é passional. Em vez de dizer que ela está nervosa, diga que é sensível.

UM SINÔNIMO MUDA TUDO.

Ou quase tudo.

O que mantém firme uma relação é o talento de tornar o outro sempre importante.

Não é o mesmo que bajular. É uma vocação séria e rara antever a fraqueza ou desânimo e puxar a corda para o lado contrário. Soltar um agrado no momento de absoluta confusão. E não criticar, sob hipótese alguma, nossa companhia quando ela já está se criticando. Não concorde com seu desespero, seja oposição, por mais que ela tente convencê-lo que não há saída.

TODO OUVIDO É UMA SAÍDA.

Escute com atenção de um apaixonado. Ouvir é mais comovente do que adivinhar. Existe o costume de mostrar que compreende o próximo projetando suas atitudes negativas.

Não busque antecipar os dissabores, parece que tenta se livrar dos incômodos. Expectativa pessimista soa como rejeição e influencia o curso dos acontecimentos. Antecipar o que a namorada ou o namorado está pensando termina motivando crises.
Pergunte, apesar da resistência desfavorável.

TROCA-SE DE OPINIÃO COM FACILIDADE ENQUANTO AINDA É PENSAMENTO.

Uma das coisas que a mulher e o homem procuram é alguém que entenda seus defeitos. Que olhe os defeitos com ternura.

Cômodo e previsível aceitar as virtudes de nosso par, o difícil é acolher as manias e tiques, sem censura e repreensão. Sabe aquelas diferenças que tentamos mudar ao longo da convivência e não conseguimos corrigir?

Justamente elas que provocam saudade. Porque ela tenta conversar com secador ligado ou prefere estacionar em esquinas e entradas de garagens ou esquece, invariavelmente, a cafeteira ligada de manhã.

As diferenças incorrigíveis formam o temperamento. Não nos apaixonamos por quem é igual à gente, senão bastaria cruzar os cartões de crédito e as preferências para surgir o homem ou a mulher ideal.

AMAR É QUEBRAR PRÉ-REQUISITO, romper estatísticas.

Aquilo que pode ser ruim pode ser bom. Basta inverter a perspectiva e descobrir um novo jeito de respirar dentro do amor. Descobrir uma compreensão - sem data de validade - que é superior à tolerância - quando aguentamos por tempo determinado para em seguida cobrar a conta.

Admirar não apenas o que se é, mas o que também não somos e seremos.

MONOTONIA É TER UM PAR QUE PENSE IGUAL, CRIATIVIDADE É RECEBER O AMPARO DO CONTRAPONTO.

Não tentar convencer que sua opinião é superior, que seu estilo de vida é o adequado, numa cruzada alucinada por dominar seu parceiro, porém oferecer um jeito diferente de pensar os problemas.

Enquanto um casal concorre para definir quem está certo, ainda não há relação.

Ambos devem se desarmar dos preconceitos. Somar suas fraquezas, e não disputar forças.

Não é para engolir qualquer ato, mas identificar aquilo que somente nos incomoda e não é grave assim.

(Não incluo os vícios. Se ele é fumante e ela não, ele deve aceitar que vai parar de fumar. Sua mulher fará uma campanha absurda pela sua saúde. Até no começo, vai parecer a mais educada possível, cedendo espaços e cômodos para as tragadas, mas logo mudará de tática e apertará o cerco. Ao final, ou larga as baganas ou fumará na marquise do prédio.)

Criticar é uma forma de se apresentar superior ao outro. O humor é uma forma de ser melhor junto.

NÃO FAZ SENTIDO?

Rir de si talvez seja o mais eficiente conselho. A autocrítica é terapêutica. Se nossa esposa ou namorada percebe que falhamos e reagimos com leveza, não se enxergará cobrada e incomodada de errar.

Por sua vez, não desfrutar de autocrítica é cair na tentação do auto-elogio. Ao apontar o defeito na mulher, automaticamente estou afirmando que não sofro disso, que estou acima da situação.

INTIMIDADE SIGNIFICA CONHECER AS FRAQUEZAS DAQUELE QUE NOS ACOMPANHA PARA NÃO USAR A NOSSO FAVOR NO MOMENTO DA BRIGA.

É um fair play dentro de casa.

Mais: fazer com que ela ou ele não tenha vergonha por agir e ser dessa forma.

Caso seu marido seja careca, não deboche, com medo da opinião dos amigos e conhecidos. Muito menos tente encaminhá-lo, à revelia, a implantes miraculosos e calendários lunares.

UMA DAS PIORES FRASES É: ‘NÃO QUERO QUE FALEM MAL DE VOCÊ’.

Deixe que os demais falem mal, trate de falar bem para compensar. Ruim é quando engrossa o coro.

O pulo do gato é inspirá-lo a admitir a aparência. Várias vezes o que nos falta são argumentos para nos defender e desafiar o senso comum. Afinal, não casamos ou namoramos para gostar do que todos gostam, e sim para criar o próprio gosto.

Diga que quem é careca tem mais rosto para beijar. É só rosto, não há como errar o beijo.

Haverá, no ato, uma distensão do problema.

Caso ele seja obcecado por futebol e já está farta dos jogos intermináveis na tevê, apareça com a camiseta de um time totalmente desconhecido. Na hora em que ele questionar o que é isso, comente com displicência que é o uniforme de FC Radian-Baikal Irkutsk, da Rússia. Ele ficará intrigado e abandonará sua obsessão.

IGUAL RUPTURA DE CONDICIONAMENTO FUNCIONA PARA O HOMEM.

Caso sua mulher demore a escolher a roupa, o que é provável, destaque o quanto é caprichosa, abandone a atitude de azucrinar pelo atraso.

Caso ela arda de ansiedade e mande dez torpedos por dia, no estilo agência de notícias, não lamente que é insuportável e excessivo, diga que quando vem um a menos parece que ela não lhe ama mais.

Caso ela não cozinhe, confesse o quanto os vizinhos invejam a duração do gás em sua casa.

Caso fique impaciente diante de sua preferência por comédias românticas no cinema, avise que não achou algo parecido e forte nos filmes que chegue perto da história de vocês.

Nada tão delicioso na vida do que não se envergonhar diante de quem amamos.

ACEITAR O OUTRO É MAIS ROMÂNTICO DO QUE DESEJAR MUDÁ-LO PARA GANHAR O CRÉDITO.



Revista Cláudia
Fevereiro/2011, Nº. 2 Ano 50
Ps. 106-109

16 comentários:

Helena Reis disse...

http://dropoflemon.blogspot.com/2011/02/selo-projeto-creativite.html

um selo pro Carpinejar.
beijo pro meu ídolo.

ミ★ є∂ι ★彡 disse...

PEERFEEITOOO!!!!
amei esse post e tudo que li nele. Realmente como disse Ana Medeiros no Facebook: "todos que tem um amor deveriam ler esse post".
Obrigada por transcrever essa ótima matéria.

Beijos Edi

Anônimo disse...

Fantástico ;)

Única e Exclusiva disse...

Realmente, precisamos desta reforma.

bjs meus

Silvania***** disse...

Excelente
Parabens!!!!

Aline Zanin disse...

É bom saber que ainda há pessoas que pensam e acreditam nisso tudo.
Excelente!

Margareth disse...

No paraíso do romantismo o amor escolhe, os amados decidem. Ninguém escolhe vou amar fulano vai amar beltrano, por isso, por isso, isso ou aquilo. O amor é um repente, simplesmente dispara, estoura igual bala, estilhaças suas pólvoras procurando atingir o alvo. Ai vem de todo jeito, às vezes cheio de defeitos, empecilhos e exigências. Cabe a quem foi atingido decidir se abre mão ou não da felicidade, se estar disposto a atender as loucuras e/ou os caprichos do amor. Na lei da vida será que os opostos se atraem? A meu ver, no amor essa regra só provoca atritos e/ou anulações, vai depender da situação. Quando um quer assim o outro quer assado, alguém tem que ceder, alguém precisa se anular, deixar os seus interesses para prevalecer o do outro. É complicado esses atritos X anulações. Tem que amara muiiii......to, grito até demaiiiiiiiii........s. È por isso que acredito e concordo que na vida a dois, quanto mais a pessoa for parecida com a outra e gostar quase sempre das mesmas coisas é melhor ainda. Torna-se menos complicado, sobra mais tempo para viver e menos tempo para brigar. É bem melhor, até para o dialogo que acaricia a qualquer momento o relacionamento, fortalecendo a sinceridade, o respeito e o carinho que alicerçam qualquer amor. Agora Fabrício, sabe qual é a verdadeira delícia da vergonha? É ganhar um carinho extra do amado.
Margareth.

Renata disse...

Fabrício,
sou uma grande fã anônima dos seus textos e frases, digo anônima pois essa é a primeira vez que crio coragem para comentar uma das publicações que mais gostei!

É muito bom poder ter um formador de opiniões como você mostrando a todos que devemos desenvolver maior lucidez nas nossas relações afetivas.

Um grande beijo de uma admiradora.

Débora disse...

Muito, muito bom!

juliana disse...

Amo te ler!!

Anônimo disse...

perfeito. colocar em prática seria perfeição

gina8384 disse...

Prazeiroso ter intimidade com o que escreves...amo!!

«*G@bi*» 웃☆웃 disse...

A frase final ficou dias no meu MSN. Adoro os textos a simplicidade de descrever como é bom e "secreto" gostar de alguém. Todos deveriam ler esse post.. quem ama, quem é amado ou quem um dia pensa em pelo menos partilhar uma vida a dois embora teoricamente sem compromisso!!!

H C disse...

Quem é careca tem mais rosto para beijar!!! Vou encher você de milhões de beijinhos... este post ficou ótimo. Melhor, só acontecendo.

Jaci*Marcela disse...

Perfeito!
Em míninmo caso dos relatados, acertei, ao menos em pensamento, mas vi o quanto se tem a aprender com o convívio... todos somos diferentes, e o difícil não é conviver com essas diferenças, e sim aceitá-las!


By: Ana Jaci AmoRim

Cecilia Santos disse...

Faz sentido... Pelos menos na teoria... mas faz...