sexta-feira, 13 de julho de 2012

SEMPRE ATENTO


Quando jogador, Vanderlei Luxemburgo foi o reserva eterno de Júnior no Flamengo. Ele poderia ter amaldiçoado o clube, rescindido o contrato, denunciado boicote, como é o costume acontecer.  Avisar que vinha perdendo a sua carreira mofando no banco de reserva, que merecia uma chance de titular ainda que longe da Gávea.

Mas não: ele não protestou, não xingou os dirigentes, reservou o período que ficava na casamata para aprender tudo o que podia conversando com o preparador físico e o treinador. Ele converteu a espera em aprendizado. Transformou o período inútil em escola.

Na reserva do Júnior, ele começou a inventar sua trajetória de técnico. Entendeu como funcionava a mecânica do jogo pelo lado de fora do gramado.

Ouça meu comentário na manhã de sexta-feira (13/7) na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, apresentado por Antonio Carlos Macedo e Daniel Scola:

5 comentários:

Mel. disse...

Aprendo muito com seus pontos de vista!

Obrigada!!!!!

Berzé disse...

Só faltava essa: Um Luxemburgo Zem. Zem nada! Empáfico, vazio, idiota, olhando lá de cima! Doeu!
Berzé

jesyka lemos disse...

Gostei. Preciso aprender mais com o Luxa.

Pedro Paiva disse...

jourinkTereza voltava para sua casa, em sua mão uma sacola com uma garrafa de pinga e outra de conhaque. Sua pele manchada e corpo obeso escondem a beleza de outrora, apenas seus olhos verdes ficaram.
O trabalho de gari foi árduo, o pior era quando a molecada caçoava.
- Tereza cafetina.
- Terezinha cafetina.
http://contospoesiacia.blogspot.com.br/

Daia disse...

E o Júnior como técnico não chega aos pés dele. Tu vê né!