terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

BENDITA

Arte de Cindy Sherman

Palavra tem sentimento, muda o destino do casal. Um termo errado nos precipita ao desterro, o termo certo nos conduz ao paraíso. Falar não é um detalhe para as mulheres que nasceram para ouvir. É trocar um adjetivo, que renovamos o alvará do amor. Não podemos, homens, nos dar ao luxo da preguiça. A sedução é trabalho diário e incansável. Cultive o dicionário, colecione vocábulos, sente na gramática.
 
Não diga que ela é autoritária, diga que ela é uma liderança.
 
Não diga que ela é indiscreta, diga que ela é curiosa.
 
Não diga que ela mente, diga que ela possui uma imaginação poderosa.
 
Não diga que ela é estourada, diga que ela é corajosa.
 
Não diga que ela é atrapalhada, diga que ela é perfeccionista.
 
Não diga que ela é irritante, diga que ela é persistente.
 
Não diga que ela é consumista, diga que ela sabe escolher.
 
Não diga que ela é manipuladora, diga que ela é decidida.
 
Não diga que ela é dramática, diga que ela é emotiva.
 
Não diga que ela é vulgar, diga que ela ama a simplicidade.
 
Não diga que ela é imprudente, diga que ela é ousada.
 
Não diga que ela é ciumenta, diga que ela é interessada.
 
Não diga que ela é medrosa, diga que ela é sensível.
 
Não diga que ela cozinha mal, diga que sua comida é rústica.
 
Não diga que ela exagerou ao cortar o cabelo, diga que ela transpira independência.
 
Não diga que ela grita, diga que todos precisam ouvi-la.
 
Não diga que ela é agressiva, diga que ela é lutadora.
 
Não diga que ela é orgulhosa, diga que ela tem personalidade.
 
Não diga que ela é possessiva, diga que ela é cuidadosa.
 
Não diga que ela é mimada, diga que ela é uma princesa.
 
Não diga que ela não tem razão, diga que sua opinião é importante.
 
Não diga que ela sempre se atrasa, diga que admira sua calma.
 
Não diga que ela é confusa, diga que ela é misteriosa.
 
Não diga que ela é ambiciosa, diga que ela é sonhadora.
 
Não diga que ela entendeu errado, diga que você explicou muito rápido.
 
Não diga que ela é fofoqueira, diga que ela é bem informada.
 
Não diga que ela é obcecada, diga que ela não desiste.
 
Não diga que ela é maníaca, diga que ela é organizada.
 
Não diga que ela é gorda, nem tente encontrar um sinônimo, apenas não diga.



Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 26/02/2013
Porto Alegre (RS), Edição N° 17355

20 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Gosto mais ainda quando as palavras choram, quando cantam e encantam...

Mais ainda quando se aborrecem e se esquecem do que é medo, solidão e angústia.

Para elas, as palavras se emocionam com colibris, arco-íris e paisagem verde. Assim, saem vibrantes, radiantes, eternas, nunca vazias.

Palavras apenas!

Abração do Pedra do Sertão

Pedra do Sertão disse...

Olá, Fabrício,

Fiz uma pequena mudança em minha resposta, que já deixei também no Blog:

Gosto mais ainda quando as palavras choram, quando cantam e encantam...

Mais ainda quando se aborrecem e se esquecem do que é medo, solidão e angústia.

Para elas, as palavras, a emoção vem com os colibris, o arco-íris e a paisagem verde. Assim, saem vibrantes, radiantes, eternas, nunca vazias.

Palavras apenas!

Mel. disse...

Texto perfeito!!!!!!!!!!!!

As mulheres agradecem! rsrsrsrs

Ítalo disse...

Tu és sensaciona, Fabrício!

"Não podemos, homens, nos dar ao luxo da preguiça. A sedução é trabalho diário e incansável. Cultive o dicionário, colecione vocábulos, sente na gramática."

César disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
César disse...

Cara, que coisa mais bonita... Me senti dentro do texto a partir do momento em que sou craque em utilizar as primeiras expressões, infelizmente. E isso não serve só para casal, mas sim para amigos, pais, parentes, enfim, todas as pessoas que tratamos diariamente. Fez-me refletir. Obrigado.

ana disse...

Concordo com o que diz o César. O Fabrício escreveu um manual de boas maneiras para usarmos em todos os relacionamentos. Fabrício, nosso futuro Prêmio Nobel de Literatura é também um grande psicólogo.

Simone Patro disse...

Que forma doce e sutil de encarar as facetas femininas. Aqui em casa fez diferença este texto, meu marido já está exercitando os novos vocabulários...e o amor cresce a cada momento mais, e assim, com serenidade, continuo tentando melhorar as minhas imperfeições, agora sim, adocicadas pelos vocábulos brilhantes de nossa magnífica gramática!! Obrigada!!! BENDITO sejas tu!

Anônimo disse...

A pergunta é... se vc acha tudo isso de sua companheira... pq está com ela?
O texto claramente considera a mulher como ser com características inferiores. Não gostei.

Larissa disse...

Fico feliz, realmente feliz por ter encontrado um companheiro que não acredita que a mulher seja inferior e precise ser constantemente enganada para que goste de alguém.

Que me diz quando estou gorda, que não me poupa da verdade.

Que divide comigo suas neuras e com quem eu posso dividir as minhas.

É bom demais encontrar alguém com quem dividir a vida e não enganações.

Biah disse...

Homem, você que está lendo isso, te faço um pedido: não siga o que esse texto diz.
Uma boa relação não vai exigir que você engane sua mulher (sim, porque caso você não tenha percebido, é isso que o texto diz para você fazer). Todo mundo aprecia a verdade, e se você considera que sua mulher é frágil demais pra ela, sinto te dizer, mas você é machista.
Se você acha que sua mulher se atrasa demais, que o corte de cabelo dela não ficou legal, que ela está comendo mais do que deveria e isso pode ser prejudicial a saúde dela, sente e converse. Você provavelmente sabe como lidar com a pessoa que você ama, e por mais que ela não goste de ouvir que você não gostou do corte de cabelo dela, ela merece saber a verdade.
E mulher, você que acha que a troca de palavras é muito mais agradável, saiba que o que o seu marido quiser falar com você não vai ser alterado por palavras bonita, o significado prevalece e ele não pode te subestimar, indicando que você não vai gostar ou não vai entender se falado de certa forma.
A questão é: fale com educação, e não enganando.

Nina Caetano disse...

ai, que preguiça! da regra, da mentira, do estereótipo. do machismo bom-moço, da "gentileza" enganadora que coloca a mulher como, além de burra, suscetível e incapaz de lidar com críticas. amor não se constrói com engano, mas com gentileza e honestidade.

Anônimo disse...

Nossa, todos os clichês de gênero reunidos num único [curto] texto. Que pobreza. Esse machismo disfarçado de "bom-mocismos" é um saco. E, pior, parece inofensivo, mas não é: reafirmam e reforçam de forma velada (e, por isso, mais difícil de combater - reparem o número de gente que achou o texto ótimo, caindo sem preceber nas armadilhas do pensamento senso-comum) os estereótipos que sustentam as estruturas machistas e violentas de nossa sociedade. Que vacilo, Carpinejar. Pensa isso aí, pô.

Ana.

Renata disse...

A "dica" do texto é tratar a mulher como quem trata uma ameba que não tem capacidade de discernir uma crítica, como quem trata alguém que, por alguma razão, precisa ser poupado da verdade. Tudo pode ser dito, desde que se tenha educação e respeito.

Maísa Sales disse...

Melhor do que dizer tantas bobagens de maneira mais amena seria pensar diferente, ter autocrítica e respeitar. A mulher agradece.

Anarca feminista disse...

rs...uma palavra pro texto:

LIXO!

Um pensamento: "Só podia ser gaúcho..."

Um pedido: "Gaúcho, fique no Sul, please!"

Carpinejar disse...

Nossa, que azedume, leveza não existe, só palaqvras lineares. Pobreza de espírito. Humor é brincar com os condicionamentos. E ser gentil nunca será mentir. beijos

Camila disse...

Esse machismo disfarçado de gentileza é o que mais me dá medo...

ana disse...

É por isso que os relacionamentos vāo de mal a pior.
As pessoas confundem educaçāo e carinho com machismo. Saber usar as palavras nāo é enganar, é um dom que nem todos os homens e mulheres possuem.. Ser gentil, mesmo quando estamos fazendo uma critica é a base de uma boa relaçāo.

Anônimo disse...

texto machista, inferiorizando as mulheres. e o mais triste é que muitas ainda acham isso bonito.

princesas desprotegidas esperando seu principe encantado que nunca vai chegar.

nao precisamos disso.