quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

UMA BEM DADA, E ACABOU

Arte de Eduardo Nasi




Se você quer uma, duas ou três numa noite, procure um adolescente, um jovem de menos de 30 anos.

Não eu. Não vou mentir que sou herói da volúpia. Minha fase epilética e vulcânica acabou. Tive meus momentos de aplicar a tríplice vacina e conservo a carteirinha de saúde com ternura.
O homem quando completa quatro décadas adere ao período performático.

Larga o passado velocista para economizar o fôlego. Não irá se expor a piques desnecessários.

Seu diferencial é o alto aproveitamento das raras chances de gol.

É uma bem dada, e acabou. Talvez enfrente morte súbita ou decisão de pênaltis em jogos decisivos, mas representam exceções, não leve em conta.

1 a 0 já são três pontos. Não competirá com a amante, ou humilhará os adversários com goleada.

É uma bem dada, o resto põe na conta dos espasmos, encenações, contrações.

Homem com quatro décadas é um ator da intimidade. Pisca para a câmera, tira a roupa com lentidão, discute o relacionamento, geme alto, finge ápices.

É o sexo com estilo. Mais caprichado, mais cênico.

É o sexo pensado, retórico.

É o sexo catimbeiro, com espiadelas no espelho e conversas laterais.

É o sexo reflexivo, com gentilezas e intervalos para pegar água gelada.

É o sexo intensivo, com massagens, preliminar e cafuné.

Homem de quarenta anos muda sua visão da cama. Incorpora o temperamento roleta-russa. Coloca uma bala no tambor, mira com firmeza e apenas atira com a certeza do tombo.

O quarentão não vai correr como louco, tem como virtude o posicionamento na pequena área. Está sempre em condições privilegiadas para receber e finalizar.

Aprendeu a controlar o orgasmo, e a se poupar ao orgasmo.

Ele acelera o clímax pelo desaforo, reduz com o elogio. Seu dom é a fala, mistura putaria com poesia ao ouvido:

— Minha vadia, sua respiração segue o ritmo da música ambiente. Não existe pele mais afinada.

A atitude é acrobática. Lembra um trapezista dos travesseiros, um domador de edredons.

Não é selvagem, aquilo de penetrar de pé e ejacular de susto, mas tampouco é desligado e indiferente. Dedica-se a obedecer ao ritmo feminino, a honrar os altos e baixos da montaria.

Seus pulos são calculados, profissionais, nunca cedendo ao risco de cãibras e torções.

Rebola com acento, beija com ênfase, prende o jogo, não tem pressa nenhuma. Desenvolve o pescoço e não cansa do bailado de barco.

O que ele deseja é gozar depois dela. Muito depois. Como um favor. Após tremenda súplica.





Crônica publicada no site Vida Breve
Colunista de quarta-feira
 

12 comentários:

Anônimo disse...

Depois dessa...paro e penso: cadê o quarentão, que não aparece na minha vida?!
Bueno. Quando vi a chamada para a leitura da sua crônica, pensei tratar-se de algo relacionado a amizade colorida ou algo do gênero, tipo um: Tchau, querido(a)...é só essa e sejamos amiguinhos para sempre.
Mas não foi o que pensei. Na sequência da leitura, fui me surpreendendo e o assunto foi até mais interessante. Se foi um desabafo ou um relato de suas próprias performances...parabéns, pelo desempenho. Te adoro, Fabrício!

Sexo c/ Amor? disse...

Adorei tudo! Dei gargalhadas de gozo com o texto e com a ilustração!
Só quero o sexo intensivo que está de ótimo tamanho.
beijo

Lisandra disse...

causou ''sensações'', pode ter certeza! pooooxaaa!

Anônimo disse...

Adorei!! Isso mesmo!!
Beijos da Carol - BH/MG

Anônimo disse...

Quer namorar comigo???
;) ;) ;)

Celso Jr. disse...

Me identifiquei totalmente! Sou um homem de 44 anos e sei bem do que se trata a crônica.

Ana de Geo disse...

Adorei o texto, e é bem verdade isso. Mas tive sorte.
Abraço.

Anônimo disse...

Muito bem meu grandeeeeee homem! Uma pergunta: por acaso vc andou mergulhando dentro de nós, mulheres frágeis??? Está parecendo....! hehe....Textos formidáveisss....!!! Mas esse aí, dos quarentões foi muito bem descrito. Detalhado na perfeição. Haha..lembrei da minha noite de ontem com meus affair. Ele com 38 e eu 25 ( ele fazendo ofavor de prolongar a ejaculação..., mas não conseguiu e disse olhando para o teto " A primeira vez em um ano que eu gozo primeiro que você" kkkkkkkkkkk risos.

adriano pedroso disse...

muito bom a ilustração ta otima e o texto criativo e inteligente hahahahah e bora fazer sexo

Paulyelson Cezar disse...

NÃO MIM SURPREENDO MAIS...CARPI É O VERDADEIRO POETA DO NOSSO TEMPO...QUERIA VC AK NA UPE...UNIVERSIDAD DE PERNAMBUCO;SUAS PALAVRAS ME INSPIRAM,E TENHO 23ANOS E TAMBÉM PARO PARA BEBER AGUA,KKKKKK FERA.

Marcia Fiorini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

È isto aíii gatinho...Depois do 40 tem mais qualidade.As jovens que o digam.Adoram um coroa bom de cama, que sabe ter calma e gentileza.quando mais nova tive um. tudo de bom. Carmen