terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

PINÓQUIO DO AMOR

Arte de Jim Dine

Que bom. Ela diz que te ama, olhando de volta para seus lábios, e você vem com gracinhas, tipo "que bom, quando você descobriu?"

Também. Ela confessa amor e você diz também. É a resposta desinteressada. E tem que ser rápida, para não chamar atenção e provocar briga.

Eu te gosto muito. Ela confessa que te ama e você replica que gosta muito, significa que ela ama mais você do que você a ela. É entregar os pontos. É a resposta camicase: cavou a própria cova.

Te adoro. Ela confessa eu te amo e você diz que adora. É mudar de assunto de repente. Amar e adorar não são a mesma coisa. O primeiro é domínio da vida de casal, e o outro é vocabulário da amizade.

Te quero. Ela está a fim de romance e você revela intenções sexuais. Eu te quero é sexo. Só falta acrescentar: eu te quero agora.

Obrigado. Ela diz eu te amo e você diz obrigado. Obrigado o quê, cara pálida? É a resposta falsamente educada, e altamente megalomaníaca. O sujeito se acha um rei, e agradece o amor recebido.

Ouça meu comentário na manhã de terça-feira (12/2) na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, apresentado por Daniel Scola e Jocimar Farina:
 

7 comentários:

Cassandra disse...

Melhor ser um pinóquio do amor
do que um picareta literário.

Ando farta de frases feitas,
frases de efeitos,
e outras bobagens autoreferentes,
autoajuda de facebook.

Carpinejar disse...

Obrigado, Cassandra, por me apoiar: admiti nocomentário que sou pinóquio do amor. beijo

Cassandra disse...

Ok, xeque.
Só acho estranho uma pessoa receber dezenas de comentários elogiosos, que são claramente ignorados, mas bastar uma reles voz discordante para ele sacar seu teclado.

Aline. disse...

Huuuummm ... a moça estava precisando de atenção,
e o doutor fez a intervenção devida. :)

Luana M. disse...

Dentro da devida classe. Muso. <3

Obat alami stroke disse...

info is very good friends ..........

Rebeca Galabarof disse...

Tenho uma enorme dificuldade de falar em voz alta os meus sentimentos mais profundos, tipo o amor.

Já me peguei dizendo o megalomaníaco "Obrigada" para quem eu amava de verdade.

É uma debilidade minha.

Confesso que tenho muito medo de gente que fala "Eu te amo" tds os dias.